01 março, 2024

UM RESQUÍCIO DE ESPERANÇA

 


A cada dia que passa, mesmo não querendo. bate uma preocupação danada com o futuro desse mundo e dessa geração fone de ouvido movida a aparelhos eletrônicos.
Quando estou fazendo minha caminhada rotineira ouço a sirene da escola anunciando aos alunos que está na hora de entrar para a sala de aula. Enquanto caminho vou encontrando meninos e meninas indo para a escola hipnotizadas pelos celulares e pelos fones e ouvido sem a mínima preocupação com o tempo e com o horário. Alguns e algumas estão acompanhadas por uma pessoa responsável por elas, e muitos vão se arrastando como se estivessem fazendo o maior sacrifício de suas vidas.
Os que não estão acompanhados, visivelmente estão “matando aula” e ficam perambulando pelas praças e ruas até chegar a hora de voltar para casa, agindo como se tivessem frequentado a aula.
Fiquei observando meninos e meninas com suas mochilas nas costas muito longe das escolas, e ao  entrar em um parque público a visão foi a mesma. Lá os jovens são mais ousados, afinal, estão protegidos pelo famoso “poder público” que deveria estar cuidando do bem-estar deles e delas.
Garotas e garotos se esfregando pelos quatro cantos de um parque público no horário de aula, vestidos com um uniforme de uma escola pública, é da responsabilidade de quem? 
Certamente dos pais cuja maioria diz não ter tempo para conversar com seus filhos e jogam a culpa na correria do dia a dia e na necessidade de trabalhar.
Uma olhada rápida nos cadernos pode ser feita a qualquer hora.
Mas isso acontece? 
Quase nunca!
A maioria dos pais sabem que os filhos não estão indo bem nos estudos e jogam a culpa nas escolas e nas professoras para justificar a sua falta de compromisso, e acham que cabe a elas a tarefa de educar seus filhos e filhas.
O papel da escola é preparar os jovens, técnica e intelectualmente para o mercado de trabalho. Educar é função da família, esta instituição cada vez mais fadada ao abandono e ao desparecimento.
Os da minha geração estão se despedindo desse mundo sem ter conseguido resgatar os valores morais e éticos que antes eram marcantes na formação do caráter dos filhos e filhas. 
Será que esta geração de pais e filhos que se formou nos últimos anos está irremediavelmente perdida?
Será que não existe um resquício de esperança?

19 fevereiro, 2024

DESTRUIR TUDO QUE DEUS CRIOU.

 


Parte de uma área remanescente de mata atlântica teria sido desmatada irregularmente em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, para dar lugar a um empreendimento da Igreja Batista da Lagoinha. A denúncia é de membros do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) e de uma organização não governamental. Eles encaminharam a acusação ao Ministério Público e à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).
Segundo o biólogo, presidente da ONG Kaluana e membro do Copam, Gleyber Carneiro, 20 mil metros quadrados de mata em processo inicial de recuperação foram desmatados e terraplanados, na rua João da Silva Evangelista, no bairro Bom Retiro, no início do mês. Carneiro critica o fato de a prefeitura ter emitido licença de limpeza do lote. “Quem autoriza essa supressão e terraplenagem é o Estado”, afirmou. Gleyber e disse que pedirá, via Copam, a paralisação do projeto e replantio de árvores. Além disso, a gestão ambiental do município será fiscalizada
Fiscalização
Em 5 de dezembro a Polícia Militar de Meio Ambiente foi chamada ao local. Fiscais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente também vistoriaram o terreno e no entanto, nenhum auto de infração foi emitido. A Semad informou que a fiscalização e gestão do local é de responsabilidade do município, por força de convênio, mas enviará uma equipe ao local para uma vistoria.
Em nota, a Prefeitura de Betim informou que o local é uma área urbana e os fiscais não constataram supressão ou terraplenagem no ponto, que já não tinha mata antes do fato. Segundo a prefeitura, foram requisitados vídeos do suposto desmatamento (que teriam sido feitos pelos denunciantes), mas estes não foram apresentados. O caso continua sendo apurado.
O pastor Rodinei Medeiros, representante da Igreja Batista da Lagoinha, nega a derrubada de árvores ou terraplenagem e disse que a compra da área foi de forma legal. “Quando compramos o lugar, era um bota-fora irregular. Não dava para limpar na enxada. Retiramos 198 caminhões de entulhos.
O lugar foi desmatado há muitos anos e cercamos para não jogarem lixo. A acusação é uma perseguição religiosa e interesse de terceiros no terreno”, afirmou


10 fevereiro, 2024

SAIR VOANDO DE BETIM

Obrigado por me dar o prazer da sua leitura, se tiver algo que queira publicar envie para o e.mail. geraldobilico@gmail.com.



A cada dia que passa o amor que eu sentia por essa cidade vai morrendo aos poucos.
A população da nossa cidade é estimada em 412,000 moradores e quase a metade das pessoas estão na linha abaixo da pobreza.
E pasmem!
Estão construindo um aeroporto para o pouso e decolagem das aeronaves das pessoas milionárias.
Enquanto isso a nossa cidade parece um lixão a céu aberto e a maioria das ruas e avenidas estão cheias de buracos.
Enquanto isso a fauna e a flora da nossa cidade continuam sendo destruídas e as nascentes que brotavam por todos os lados e as matas que nos encantavam foram e continuam sendo mortas ao serem destruídas com a conivência de quem nos governa.
Enquanto isso a barragem Várzea das Flores está sendo destruída, e se nada for feito para impedir este monstruoso crime ambiental, de onde virá a água para as nossas casas?
Enquanto isso o serviço de saúde continua jogado às traças e as pessoas pobres precisam mendigar por uma consulta, por uma cirurgia e por um medicamento, e muitas morrem porque o dinheiro dos impostos está sendo usado para construir um aeroporto para os  mais ricos.
Ande nas periferias e nos bairros mais pobres da nossa cidade e observe, você verá que a maioria dos moradores da nossa cidade não tem condição financeira para sair voando de Betim.

09 fevereiro, 2024

UM POUCO DA NOSSA HISTÓRIA

Obrigado por me dar o prazer da sua leitura, se tiver algo que gostaria de publicar envie para o e-mail. geraldobilico@gmail.com.
 
 
Nome atribuído: Acervo da Antiga Matriz e do Padre Osório de Oliveira Braga
Localização: Casa de Cultura Josephina Bento-  Betim- MG.
Descrição: O Acervo de Bens Móveis atribuídos ao Padre Osório de Oliveira Braga é constituído por 32 peças e por objetos pessoais, sendo elas, alfaias litúrgicas que são os objetos usados na celebração da Santa Missa e em outras celebrações. O padre Osório nasceu em 1878 e em sua adolescência estudou no Colégio do Caraça. Em 1895 entrou para o Seminário de Mariana para seguir sua vocação religiosa. No ano de 1901 retornou para Capela Nova de Betim e assumiu a Paróquia De Nossa Senhora do Carmo em 1920. A partir de então tornou-se uma grande liderança sócio religiosa no cenário municipal, foi presidente do diretório político da cidade onde exerceu o cargo de inspetor escolar e chegou a ser vereador tornando-se conhecido nas localidades adjacentes por seu autoritarismo e astúcia política. Relatos orais atribuem a ele a emancipação política da nossa cidade em 1938, o que comprova, não a veracidade deste fato, mas o reconhecimento local de sua participação nos processos de poder locais. A trajetória do Padre sempre esteve ligada ao tempo em que celebrava na antiga Matriz de Nossa Senhora do Carmo que foi  demolida em 1969 pelo então prefeito Álvaro Alvim   e que até hoje os betinenses mais velhos não sabem o motivo da demolição.  
Com o intuito de conservar a memória de ambos foi tombado  uma coleção de bens pessoais do sacerdote e outros ligados ao seu ofício na Matriz. Nesta coleção encontram-se luxuosos paramentos litúrgicos típicos da Igreja Católica antes do Concilio presidido pelo Papa João XXIII que propôs a reforma e a renovação dos ritos litúrgicos. O Padre Osório esteve entre os que resistiram a essa reforma, pois continuou a usar os paramentos romanos e celebrar as missas em latim de costas para a assembleia.
Preservar os pertences do Padre e as alfaias da igreja  é preservar a memória da Antiga Matriz, um local de identidade para uma grande parte da população local.
O conjunto foi tombado em 1998 como patrimônio cultural de Betim.
Deixo aqui uma pequena observação: a pessoa que publicou este artigo esqueceu de fazer a pergunta que ninguém se atreve a responder.
Onde foram parar as madeiras, os móveis e as imagens da antiga igreja?
 

07 fevereiro, 2024

NAS GARRAS DE UM ESTRANGEIRO

Obrigado por me dar o prazer da sua leitura, se tiver algo que queira publicar envie para o e.mail. geraldobilico@gmail.com.

Vejam o que busquei no site: BRASIL DE FATO.

Moradores de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte denunciam que o parque ecológico Chico Mendes está em perigo. Segundo os frequentadores a prefeitura do município já cortou 50 árvores da área e pretende cortar ainda mais com a justificativa de que irá construir um estabelecimento de ensino.  As famílias que vivem nos bairros São Caetano e Jardim Perla, na região do Embiruçu onde é localizado o parque argumentam que ele é fundamental para a qualidade de vida da população e que o prefeito, Vitório Medioli (sem partido), poderia construir a escola em outra área da cidade. 
Nesta terça-feira (6), durante a manhã na Câmara Municipal da cidade acontecerá um ato de entrega de um dossiê em defesa da preservação do parque e esta  atividade será na Câmara Municipal de Betim. 
“O povo da periferia também tem o direito a uma área verde, e esta proporciona uma melhor qualidade do ar e do bem-estar  das pessoas”  conta Luana Margarida, bióloga e moradora da região. Não são somente os parques do Centro da cidade que precisam de cuidados e de serem preservados. esta é uma das únicas áreas verdes que a população tem para usufruir aqui na região e desde 1997 o parque é considerado área de preservação ambiental. Porém, uma alteração do Plano Diretor do município deixou 4,8 mil metros quadrados do parque desprotegidos. Em nota a prefeitura afirma que a “construção já foi licenciada” e que entre as condicionantes para a realização da obra “está o plantio de 198 mudas das espécies inventariadas no local, na área do empreendimento ou em áreas públicas do entorno”. O texto ainda afirma que o desmatamento da área “segue todos os trâmites legais norteados pelo Plano Diretor, por meio da Lei Complementar nº 15”.
Luana avalia a medida como autoritária uma vez que não houve nenhum tipo de consulta à população que vive no entorno do parque. “Por que desmatar tantas árvores se a escola pode ser construída em outro local? Nós somos a favor da construção de uma creche que seria mais importante para a região, mas não dentro do parque.
Eles fizeram a alteração do Plano Diretor ‘na calada da noite’ sem consultar à comunidade para discutir sobre o tema. É truculenta e desrespeitosa essa atividade”, avalia a moradora. Para a bióloga o cenário se torna ainda mais grave ao considerar que o desmatamento da região acontece em um momento no qual especialistas alertam para as emergências climáticas.  “Uma árvore adulta consegue captar toneladas de gás carbônico anualmente e segundo eles serão cortadas cem árvores, explica Luana. 
Apesar de questionada pela reportagem, sobre a mudança do Plano Diretor sem consulta à população a Prefeitura de Betim não fez nenhum comentário.
 



 


EU AMAVA BETIM

Obrigado por me dar o prazer da sua leitura. Escolha o texto e clique no link para ler. 
Se você tiver algo que queira ou precisa ser  publicado envie para o e-mail: geraldobilico@gmail.com.


ADEUS MATINHA DO INGÁ

CADÊ A BETIM QUE NOS ENCANTAVA?

DESTRUIR TUDO QUE DEUS CRIOU

MEU BAIRRO PARECE UM LIXÃO

NAS GARRAS DE UM ESTRANGEIRO  

RADIOGRAFIA DE UM HOSPITAL

RIO DA MINHA INFÂNCIA

SAIR VOANDO DE BETIM

UM PARAÍSO ONDE DEUS SE MOSTRA POR INTEIRO

UM POUCO DA NOSSA HISTÓRIA

                                                  

02 fevereiro, 2024

NÃO GOSTO DE CARNAVAL

Não tenho nada a ver com o jeito que cada pessoa escolhe para viver. Escrevi esse texto em Março de 2007 e quero apenas expressar a minha indignação contra os empresários gananciosos e contra os políticos corruptos  que querem nos enganar mostrando para o mundo apenas as cenas de pessoas “alegres e felizes”. 
 
                     

Quarta-feira de cinzas, início dos quarenta dias do calvário até a crucificação de Jesus Cristo que se fez homem por amor.
Os tambores ainda não calaram, a cuíca ainda ronca e  as fantasias ainda  não foram tiradas.
A idiotice continua...
Milhões de reais foram gastos para promover esta festa para turistas sexuais onde homens e mulheres pagam a peso de ouro um lugar nos carros alegóricos ou para desfilarem como padrinhos e madrinhas das baterias.
Hora de contabilizar e fazer uma reflexão dos últimos acontecimentos.
Quantas vidas se perderam nas estradas? Vidas de pessoas bêbadas ou drogadas fantasiadas de palhaços, vidas de pessoas inocentes que tiveram a coragem de colocar seu bloco na rua e se colocarem no caminho da irresponsabilidade.
A indústria de bebida comemora.
A indústria hoteleira comemora.
A indústria do narcotráfico festeja.
Os prostíbulos e as prostitutas estão em festa.
O profissional do entretenimento se realiza.
Os políticos esquecidos por uns dias, festejam.
E o povo?
As pessoas  são meros coadjuvantes nesta festa grotesca onde os mais  pobres se vestem de reis e de rainhas quando na verdade mais uma vez estão sendo os bobos ou a bobas da corte.
A grande maioria dos foliões do asfalto ganham o quê?
Três dias de falsa alegria!
E o que os esperam depois?
O marido ou a mulher abandonadas junto com os filhos implorando um pedaço de pão?
Uma conta de água ou de luz atrasada e na iminência de serem cortadas. O dono do barraco querendo receber o aluguel.
Aqueles que consomem drogas e caviar nos camarotes vão ajudá-los a consertar os estragos que foram feitos em suas vidas nesses dias de festa?
Quantas famílias foram desfeitas?
E em outubro próximo quando começarem a nascer os filhos da folia e do carnaval?
Onde andará o pai desta criança festeira?
Quem será essa pessoa ?
Impossível saber!
Todos os anos patrocinamos este espetáculo para o mundo que nos olha como selvagens porque compactuamos com essas festas patrocinadas por políticos corruptos e dançamos em sua homenagem.  
Carnaval é algo tão insignificante que nem mesmo o dicionário  Aurélio consegue definir o seu significado e o descreve como: Três dias que antecede a quarta-feira de cinzas, dedicado a várias sortes de diversões, folias e folguedos, e termina com a definição de: Grotesco.
O absurdo desta aberração é que pessoas não gostam, como eu, somos obrigados aturar, querendo ou não, porque o país de primeiro mundo em miséria e injustiça para de produzir enquanto o seu povo brinca de ser feliz. É por isso que o nosso país não é respeitado pelos países do primeiro mundo e o nosso povo não passa de um brinquedo para aqueles que patrocinam esta orgia onde o pão e circo são suficientes para alimentar o ego de quem não tem consciência de justiça
Felizes os seguidores de religiões que promovem retiros durante esses três dia e enquanto uma minoria faz chegar ao céu as suas preces, milhões de pessoas fazem questão de esquecer a existência de Deus achando que Ele também se retirou para um cantinho do céu e só retornará na quarta-feira de cinzas quando os instrumentos calarem e as máscaras caírem E na volta da orgia muitos vão para as igrejas com cara de Judas arrependido ou de santo do pau-oco como se nada de anormal tivesse acontecido.
Eu não gosto de carnaval.
Festa de hipócritas!
Sorrisos de mentira!
Relaxamento de atitudes.

05 janeiro, 2024

MAIS UM ANO SE FOI

 



Estamos vivendo na primeira semana do ano de 2024. Na despedida do ano que se foi milhares de pessoas fizeram suas orações e juraram que este ano será muito melhor.
Talvez eu seja realmente um velho gagá, e por mais que acredite em Deus, não acredito nos seres humanos que destroem tudo que Ele construiu para todos nós.
Como nos outros anos que passaram, as chuvas não estão dando trégua, e como sempre acontece, causando muitos transtornos e tristezas. 
A violência dos crimes em todas as suas formas e os acidentes de todos os tipos voltaram a nos assombrar.
Espero que Deus atenda todos os pedidos, e que as pessoas que os fizeram comecem a refletir sobre o cuidado que devemos ter com tudo aquilo que ele criou, principalmente em se tratando de respeitar uns aos outros e da preservação do meio ambiente.
Há muito tempo estamos sofrendo com a mesmice que já virou rotina em todos os começos e finais de anos.
Não olhem para traz, o ano de 2023 já é coisa do passado, mas se quiser olhar busque na sua memória tudo de bom que aconteceu na sua vida. Lembre-se da caridade que você praticou e dos amigos e parentes que visitou. Lembre-se dos beijos e abraços dos enamorados, da esposa e do esposo e dos carinhos que deu e recebeu dos seus filhos e filhas.
Pronto...
Feito isso, procure não olhar mais para traz e foque o seu olhar e pense nos longos dias que estão te esperando para que você possa fazer tudo novamente. 
Se no ano que passou você tomou algumas atitudes erradas contra os seus semelhantes, contra os animais e contra a natureza, se prepare, a sua mente vai fazer você lembrar de tudo isso.
Se você não tem o costume de conversar com Deus, mesmo assim fale com Ele e peça perdão por tudo aquilo de ruim que praticou, e todas as vezes que elas voltarem a te assombrar busque na sua memória as coisas boas que praticou para que as ruins caiam  no esquecimento.
 

14 dezembro, 2023

PROCURANDO VOCÊ

 

Saí a te procurar  e subi na montanha mais alta que encontrei
e gritei seu nome várias vezes chamando por você,
e extasiado fiquei ouvindo o eco trazendo seu nome aos meus ouvidos 
como se fosse uma música para acalmar este ser que estava perdido
 
Te procurando desci no mais profundo dos vales
e gritando, chamei por seu nome inúmeras vezes
e tentando acalmar o meu coração
no silêncio me deixei invadir pela solidão

Querendo lhe encontrar chorei e rezei em vários templos sagrados
e te procurei  onde havia paz e harmonia.
e na vontade de te encontrar, só pensei no nosso amor
porque a minha vida e a sua precisam ficar em perfeita sintonia
 
Impulsionado pela saudade te busquei na alegria e na tristeza
e nesses dois momentos distintos eu quase me perdi
e não importando em que condições vou me encontrar
tenho certeza que somente a você eu vou amar
 
Estava quase desistindo quando te encontrei.
na chuva mansa que acaricia
no clarão do raio que ilumina
e até no barulho do trovão querendo me dizer
que é a sua meiguice e ternura  que me fazem viver

 


05 dezembro, 2023

MÁQUINAS NÃO AMAM

 

Faço parte de uma geração que está se despedindo do mundo e infelizmente tenho a impressão que não estaremos sozinhos na hora do réquiem. Milhares de pessoas estão matando e morrendo em uma guerra urbana que dizima, principalmente os mais jovens que estão deixando-se dominar pelos aparelhos eletrônicos que os escravizam e pelas drogas que os liquidam. 
Em muitos lares cada membro da família fica recolhido em um canto longe uns dos outros para interagir com seus "amigos" virtuais. E agindo assim esquecem que para ser uma família de verdade é preciso que cada membro seja acolhido com amor e tratado com ternura.  É este acolhimento que está faltando dentro dos lares e desestruturando totalmente o elo familiar. 
A tecnologia é mutante e a cada dia surge um novo aparelho e um novo aplicativo e as pessoas vão se deixando programar e se tornam cada vez mais artificiais. A cada geringonça nova que surge o meu coração perde um pouco do seu compasso e a minha consciência me leva a procurar cada vez mais por Deus que está sendo substituído por um chip qualquer. 
Estão lançando um novo aplicativo e dizem que é para facilitar a interação entre as pessoas dentro de um bar, de um restaurante, de um shopping, em uma boate ou qualquer lugar de aglomeração. 
Os amantes da tecnologia estão achando isto uma maravilha e sentindo-se felizes porque basta cadastrar seu perfil e o aplicativo lhe mostrará outra pessoa com um comportamento semelhante ao seu para se relacionarem. 
E onde fica a conversa e o encantamento do relacionamento do olho no olho e a magia do flerte quando dois olhares se cruzam?
Estamos cada vez mais à mercê da inteligência artificial. 
As máquinas estão conseguindo copiar os humanos e se tornando donas de seus movimentos e das suas próprias ações. 
E o que temos hoje de amor. sensibilidade, carinho e ternura que as novas tecnologias não poderão copiar?
A frieza de uma máquina não vai conseguir substituir a amizade, o carinho, a doçura e o amor e nem mesmo a insensatez e a intolerância do ser humano.  
Máquina não ama.
Então o que ela vai formatar? 
A maneira de ser insensível e egoísta que nos faz esconder atrás de um aparelho eletrônico e cuidar mais e melhor dos animais a ponto de relegarmos a segundo plano o contato com os nossos semelhantes.
Esta é a razão da minha preocupação e do meu medo: 
Não vou estar nesse mundo para assistir esta aberração, mas fico triste só de imaginar a minha futura geração sendo dominada por um punhado de plásticos, por uma placa mãe que não armazena emoções e por uma memória Ram que não guarda saudades e pelos Chips que serão suas algemas os impedindo de viver do jeito e da maneira que quiserem.