6 de jun. de 2013

MISTURA DE TODAS AS RAÇAS



O Brasil é uma mistura de raças, de línguas, e de credos, e isto faz deste paraíso e do seu povo, alguma coisa de extraordinário.
Antes do descobrimento, uma raça era dona “do mundo”. Os índios que habitavam o novo continente foram os precursores e os causadores da miscigenação do povo brasileiro.
Com a chegada dos portugueses na “terra em que tudo se planta dá”, o cruzamento das raças foi inevitável, e os primeiros Mamelucos, Caboclos, ou Caiçaras vieram colorir a vida do país. E os Índios que antes adoravam o Deus Tupã que vinha com o trovão, o Deus Guaraci que era representado pelo Sol, a Deusa Jaci que era representada pela Lua, foram aos poucos sendo catequizados no catolicismo, e assistiram a primeira missa pendurados nas árvores, como mostra algumas gravuras do tempo do descobrimento.
Com a agricultura precisando de mão de obra, uma das vergonhas do nosso país importou seres humanos da África, e trouxeram os negros para trabalharem como escravos dos brancos que devastariam as terras, e levariam todo o ouro, as esmeraldas, em resumo, todas as riquezas foram roubadas dos índios. E com o encantamento da raça Negra se misturando com os brancos nasceu o Mulato. E como as pessoas não gostam de viverem sozinhas, o cruzamento de Negros com os índios nos presenteou com uma nova raça, os Cafuzos.
E novamente uma cultura diferente foi aos poucos sendo introduzida. Com a expansão da agricultura, a chegada das máquinas foi inevitável, e a industrialização transformou o Brasil num novo Eldorado, e pessoas de todas as partes do mundo fizeram suas malas e vieram em busca do enriquecimento. Muitos fugiram das guerras que assolavam o velho continente
Música
Culinária.
Religião.
Dialetos diversos.
A mistura de costumes e de cores foi ganhando corpo. Fazendo nascer pessoas com varias características físicas, tonalidades das cores da pele diferentes, etc. E esta mistura de costumes foi dando a cada região do país um jeito diferente de falar, e uma cultura própria a cada uma delas. E com isso veio o Uai dos mineiros, o Tchê dos gaúchos, Bichinho dos baianos, Ô meu dos paulistas, e tantos outros jeitos e trejeitos que fizeram deste país um lugar dos sonhos.
E mais uma vez a nossa cultura saiu ganhando.
Mestiços.
É isto mesmo, somos um país de mestiços.
O cruzamento de várias raças dá um toque diferente no semblante, no jeito de falar, de sorrir. E o Brasil se coloriu de vez, e encantou o mundo com sua pluralidade na cultura, na música, na culinária, enfim, suas portas se abriram para o mundo, e as do mundo se abriram para o nós.
Samba.
Frevo.
Axé.
Fado.
Tango.
Forró.
Capoeira.
Fandango.
Sertaneja.
Boi Bumbá.
E assim por diante, e esta mistura de sons fez o brasileiro se tornar musico por excelência. E esta musicalidade atravessou fronteiras sendo respeitada no mundo inteiro.
Arroz com Feijão.

Vatapá
Feijoada
Pastel
Angu.
E tantos outros sabores que não dá para descrever. Foi um presente dos Deuses para este país de todas as raças que encantam, e de todos os credos que santificam.



4 comentários:

  1. Oi Geraldo! Eu, particularmente, sou fruto dessa importante e necessária miscigenação.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  2. Bem elaborado para uma conclusiva afirmativa.
    Não temos raça temos sim uma mistura de onde não se explica os preconceitos e discriminações vigentes.

    ResponderExcluir
  3. GERALDO, UMA ESFUZIANTE PESQUISA HISTÓRICA!

    ResponderExcluir

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade