BETIM, UM PARAÍSO SENDO DESTRUÍDO

30 janeiro, 2022

POBRES COM FOME NÃO DORMEM

 

MÃE E FILHAS ESMOLANDO NA CALÇADA


MULHER PROCURANDO COMIDA NO LIXO 

Esta semana fui ao supermercado fazer a compra do mês. Tudo corria naturalmente e eu me sentia um privilegiado por ter condição financeira para estar executando esta tarefa. Quando colocava os produtos no porta-malas do carro, um senhor se aproximou perguntando se eu poderia ajudá-lo.
E nele eu pude ver e sentir a tristeza que assombra milhares de pessoas neste país onde o dinheiro das verbas públicas é roubado por políticos inescrupulosos desde que esse nosso brasil foi descoberto
Então lhe perguntei seu nome e o que ele queria.
O senhor Antônio me respondeu que tinha passado a noite sem dormir porque com fome as pessoas não dormem. Ele me disse que perdera o emprego e que passou a se humilhar esmolando para alimentar seus filhos e sua mulher.
Imediatamente pensei nos milhares de brasileiros que estão nesta mesma situação de extrema pobreza causada por políticos ladrões e empresários gananciosos.
A mulher do senhor Antônio dormiu?
Os quatro filhos do senhor Antônio dormiram?
Pobres com fome não dormem!
E imediatamente meu pensamento me levou para as pessoas que vivem debaixo dos viadutos e das marquises onde os passantes quase sempre trombam nos farrapos de gente parecendo dormir, mas que na verdade estão “apagados” pelo álcool, pelas drogas, e pela indiferença.
E imediatamente meu pensamento me levou para a periferia das grandes cidades onde as mais humildes vivem na miséria causada por políticos que dormem em berço de ouro, e por policiais e milicias violentas que também lhe roubam o sossego e a dignidade.
Fechei o porta-malas do carro e voltei ao supermercado com aquele pedinte que parecia estar entrando num paraíso, e deixei que ele escolhesse o que quizesse.
Foi muito pouco!
Mas para ele aquilo foi muito.
Ele não tinha nada!
Pois havia perdido até a dignidade quando começou a passar fome e ver sua mulher e filhos famintos.
Não escrevi isso para que as pessoas pensem que sou melhor que outras, e que sou um bom “samaritano”.
Escrevi para retratar a situação de abandono que está matando milhares de pessoas vítimas da politicagem sórdida dos políticos que nos governam há muito e muitos anos.
Os pobres desse país foram e estão sendo tratados com desprezo por esta corja que nos governa, e ainda muito mais pelo atual governo.


Este comentário me foi enviado por e.mail pelo leitor TITO JOSÉ PEDROSA 

Pois é Geraldo, para pessoas como você, por exemplo, deparar cotidianamente com situações como a desta família pobre que com fome não dorme, é muito revoltante. A sua indignação hoje chega a ser mais desesperadora, pois ainda temos todo um ano para acreditar que outros governantes eleitos assumirão o poder e olharão para o pobre, pelo menos com menos ódio. Atualmente são inúmeros os políticos que detestam o pobre, não no sentido de lutar para que ele deixe de existir, mas no sentido de ve-lo cada vez em número maior e em situação cada vez mais miserável, onde a dependência causada pela fome e miséria em todos os outros fatores que geram dignidade humana, levem o pobre a manter o poder opressor político, econômico e até mesmo religioso, afinal ele também vota e ele é a maioria. Ah, Geraldo, como humano e como cristão que sou quanta dor me aflinge. A sensação de impotência e às vezes até de convivência me maltrata e sei o quanto lhe maltrata também. Penso no momento em que passou a compra que fez no supermercado para aquele senhor que com sono e fome lhe pediu comida, os pensamentos que vieram à sua mente tipo: Meu Deus e o amanhã está tão próximo e a fome e o sono novamenre serão realidades naquela família. A satisfação em poder ter ajudado torna-se quase inexistente diante de nosso olhar de indignação ao atual governo que só quer poder, fama e destruição da dignidade das minorias e legislações e políticas criminosas que impeçam qualquer preservação do meio ambiente que não gere lucro econômico, que a religião seja instrumento de alienação, assim como a cultura e a educação. Que um número pequeno de privilegiados usem e abusem do poder e que concentrem forças como armamentos até mesmo bélicos para se manterem por cima. Triste. Revoltante. Que diante de tal realidade cada vez mais sofrida, "Geraldos" existem para dar voz àqueles que com fome já também não mais dormem. E eles e elas são a imensa maioria. Não desista, continue escrevendo, Geraldo. Abraços fraternos!

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade