12 setembro, 2015

LIBERDADE.




                                                           LIBERDADE    

 

Estou tentando escrever sobre a liberdade  e nunca vi um tema tão fascinante e complicado. 
Cada pessoa tenta moldar a sua de acordo com suas circunstancias e necessidades. Ela é procurada por pessoas que se prendem com correntes de verdade ou imaginárias, e muitas vezes não pode ser conquistada por problemas financeiros, religiosos ou políticos.
Algumas pessoas conseguem driblar esses empecilhos.
Outros se rebelam e a buscam de todas as formas. 
Muitos tornam-se escravos dela
Com ela não existe meio termo, ninguém é mais ou menos livre, mais ou menos escravo.
É escravo ou não.
É livre ou não.  
Quando ela é alcançada a vida ganha um novo colorido, o sol aquece com mais ternura, a chuva parece cair mansinha sobre os cabelos e o vento sopra com mansidão fazendo a brisa acariciar o rosto de quem a procurava.  
Ela não é igual.
É severa.!
Amena.!
Muitas pessoas se deixam aprisionar pelo dinheiro quando ele é escasso ou quando sobra, e isso acaba com sua liberdade de ser o que quiser e também de andar por onde e com quem quiser. Outras tantas se corrompem e se  vendem abrindo mão da sua liberdade se deixando serem usadas por outras pessoas que se acham reis e rainhas de impérios construídos com a mentira.
Ah! Quantos escravos se deixam  torturar  por um cartão de crédito, e atendendo ao apelo do consumismo exagerado saem comprando coisas sem necessidade que poderiam ficar para mais tarde.  
E os escravos das religiões?
Milhões de pessoas escutam cegamente e seguem falsos profetas que dizem falar em nome de um deus de mentira. Esses escravos sofrem uma lavagem cerebral que os levam a comprar milagres mentirosos que são encenados por pessoas e pregadores que não acreditam em Deus, porque se acreditassem com certeza não agiriam como os vendilhões do templo que foram chicoteados por Cristo.  
E os escravos dos relacionamentos mal resolvidos? Aqui o ciúme e a falta de sensibilidade aprisionam sonhos, reprime atos e atitudes, dita moda e o comportamento de pessoas que matam e morrem por motivos banais.
E  os escravos do coração, ou vamos dizer, do falso amor? Sonham todos os dias com a liberdade de amarem e serem amados para compartilhar sonhos e ideais que quebrem os grilhões desta escravidão.
Tem o prisioneiro da saudade que se consome aos poucos deixando seus pensamentos presos no passado, não importando se foram bons ou ruins. 
Tem os prisioneiros da falta de amor e carinho que são jogados em asilos ou abandonados pelas ruas onde são mais escravos e tem menos liberdade que um cão sarnento que pode correr livre de um lado para outro. 
Existem os prisioneiros de verdade, aqueles que por vários motivos estão encarcerados em celas imundas e superlotadas, sendo tratados com animais por carrascos mal remunerados.
Os prisioneiros das drogas, do jogo e de tantas outras prisões que trocam suas vidas por vício qualquer. 
Liberdade!
Palavra bonita. 
Difícil de ser conquistada.
Mas sem ela a vida se torna um vazio que machuca e mata nossos sonhos.

 









2 comentários:

  1. Olá, estimado Geraldo!

    Seu texto é mega abrangente. Parabéns!

    Liberdade é um conceito mto amplo e mto restrito, ao mesmo tempo.

    Quantos se sentem livres, estando acorrentados a dependências, seja de k género for?

    LIBERDADE É CONSCIENCIALIZAÇÃO.

    Abraço, com carinho!

    ResponderExcluir
  2. As frases de Mandela são pura, puríssima verdade.

    Abraço de luz e bem.

    ResponderExcluir

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade