5 de dez. de 2010

O RICO POBRE







                                         O RICO POBRE

Em uma das paradas de Jesus para atender o apelo dos que sofrem, em meio à confusão que deixava os apóstolos agitados e nervosos, um jovem bem vestido, (poderia ser Francisco) aproximou-se de Jesus e perguntou: - Bom mestre, que devo fazer para ser feliz e conquistar a vida eterna?  Jesus voltou-se curioso para ver quem fazia tal pergunta, olhou para o jovem com interesse. Todos queriam ouvir Sua resposta.
Com serenidade Ele disse: Os profetas já lhe mostraram os mandamentos, cumpra-os e serás feliz nesta vida, e na que virá.
O jovem mais uma vez perguntou: mas quais mandamentos mestre?
Você os conhece, estão na lei de Moisés: Não mate, não diga falso testemunho contra teu irmão, não enganes, honra teu pai e tua mãe, não cobice as coisas alheias, não tome o nome de Deus em vão, guarda domingos e festas, não peques contra a castidade, não levante falso testemunho, não deseje a mulher do próximo
Eu sei Senhor, isso tudo tenho cumprido desde minha juventude. (não poderia ser Francisco).
Jesus, que já havia se afastado alguns passos, voltou-se para o jovem, aproximou-se dele, colocou as duas mãos sobre seus ombros fixando o olhar em seus olhos. Com o rosto iluminado por um sorriso, com olhar transbordante de amor, lhe disse: Pois então meu filho, só uma coisa lhe falta, vai vende tudo que tens e distribua com os pobres, pois agindo assim terás um tesouro no céu.
Depois vem e segue-me.
Pedro que se erguera, cochichou com João, mais um louco para o nosso bando, (Poderia ser Francisco), agora vamos ser treze.
Mas o jovem olhando desapontado para Jesus, deu alguns passos para trás como se aquelas palavras o houvessem ferido. Por um instante todos os bens que possuía, casas, terras, rebanho, roupas finas, dinheiro, tudo passou pela sua mente. Triste baixou os olhos, deu as costas e foi-se embora.
Vendo o jovem afastar-se, Jesus sentiu uma profunda amargura em seu coração, pensou em chama-lo e dizer que sua proposta fora exagerada e radical, mas o rapaz já desaparecera no meio do povo. (Poderia ser Francisco)!
Quando Jesus responde à pergunta de Francisco: Senhor que queres que eu faça?
Foi mais uma vez radical: Vai e reconstrói minha igreja. A igreja de Deus precisava de uma reforma, e Francisco achou que era simplesmente recuperar a velha capela Porciúncula que estava desmoronando.
Mas Deus queria muito mais, ele pediu uma reforma na cúpula da igreja, na maneira de pensar e agir dos que diziam amar a Deus acima de todas as coisas. Quando na verdade amavam a cobiça, a ganância, o dinheiro e poder.
Francisco também foi radical. Como era de família rica, começou distribuir com os pobres os bens de seu pai, que o denunciou ao bispo. Francisco radicalmente rompeu com as coisas do mundo ao arrancar a roupa do corpo, e devolvendo para seu pai, saiu pelo mundo para ser o peregrino do Senhor.
Jesus olhando para nós. Pessoas simples e rudes em sua maioria, falou como se pensasse em voz alta: “Preciso ter mais cuidado com as palavras”.
Realmente, são poucas as pessoas dispostas a abrir mão das suas certezas e seguranças por causa do reino. Como deixar tudo por uma vida errante e incerta quando há tanto a perder?
“Não leveis pelo caminho nem bastão, alforje, pão, nem dinheiro, tampouco tenhais duas túnicas. Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo e siga-me”.
Para refletir.
Hoje teríamos coragem de fazer essas perguntas?
O que preciso para ser feliz?
Senhor que queres que eu faça?

O que nós podemos deixar para trás? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade