21 de set. de 2018

EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA – TABÚS A SEREM VENCIDOS



Quando vejo na rua um casal de meninos com seus dezesseis anos ou menos, carregando um filho no colo, fico me perguntando: como será o futuro dessa criança? O que esses meninos têm de experiência para passar para o filho?  A maioria dessas crianças serão criadas pelos avós, que na maioria das vezes também não souberam, não quiseram, ou simplesmente não tiveram condições financeiras e psicológicas para educarem seus filhos.
O grande problema desse país é que quando falamos em educação todos pensam logo em escolas e universidades. 
Grande engano!
Quem prepara os jovens para a vida pautada pela decência, pela honestidade, e pela educação, são os pais e os parentes mais próximos que não devem medir esforços para que todos sejam felizes. As relações familiares estão sendo destruídas por um governo constituído de ladrões que roubam o dinheiro que deveria dar estabilidade econômica, dignidade e segurança a quem tem a incumbência de manter seus filhos.  
Nossas casas são invadidas por imagens, falas e comportamentos que são uma afronta aos bons costumes, que quando não aceitamos e fazemos alguma crítica, somos taxados de preconceituosos. A todo momento as famílias são bombardeadas por uma mídia facciosa que interfere na educação de crianças e jovens, e no comportamento dos adultos, incutindo em todos um desejo mórbido de um consumismo exagerado
De uma maneira geral, as instituições de ensino preparam as pessoas para o mercado de trabalho, É bem verdade que muitos professores são exemplos vivos de cidadania e conseguem transmitir para seus alunos tudo que tem de positivo, para que os mesmos possam também se tornarem cidadãos exemplares nas comunidades onde vivem. É bem verdade também que os professores fazem parte da classe de trabalhadores mais mal remunerada e humilhada pelos governantes, e pasmem, muitos professores são humilhados pelos responsáveis das crianças, que acham que os mesmos são obrigados a desempenhar também o papel de mãe e de pai de filhos malcriados que não geraram, e que não aprenderam em casa que é preciso conhecer seus limites para viverem em harmonia com as outras crianças.
Estamos vendo crianças, jovens, adultos, e idosos, sendo escravos de uma geringonça eletrônica que afasta as pessoas e destrói os relacionamentos, com a falsa ilusão de que aproxima, simplesmente porque alguém descobriu um parente ou amigo que há muito tempo não via, e que agora trocarão algumas palavras, que por comodismo ou preguiça, não quiseram arranjar um tempinho para uma visita amistosa onde poderiam conversar cada um olhando no olho do outro, sentindo a sensação de que que a verdadeira amizade é eterna..
O que será que a tecnologia e seus amantes podem nos dizer e o que esperar de um futuro movido a chips e placas eletrônicas? O que será que a tecnologia e seus amantes tem a nos dizer sobre milhares de pessoas, crianças, jovens e adultos que se tornaram escravos dos computadores de todos os tamanhos?  
Com certeza dirão que as pessoas serão mais felizes.
Será? 




Um comentário:

  1. Olá, Geraldo!

    Como sempre textos mto lúcidos e verdadeiros.

    Instrução é a escola que dá ou deve dar. Educação é dada ou deve ser dada pela família, sempre assim foi e será.

    Os meios de comunicação social são completamente loucos e impingem nas cabeças, não só dos jovens, mas de toda a gente, ideias fora de série, todas modernaças, enfim, um caos. Evidente k a sociedade vai de mal a pior. Que me chamem preconceituosa, desatualizada, velha e sei lá k mais, eu estou-me nas tintas, como aqui se diz, para isso, pke o k me importa é a nitidez, a racionalidade, os bons usos e costumes.

    Qto às geringonças, pois tenho celular, coisa básica e k uso poucas vezes. Não tenho Face, Twitter, Instagram e não sei k mais, mas sou tão feliz, desse jeito!

    Beijinhos para todos, não esquecendo Bernardo e uma luxuriante primavera.

    ResponderExcluir

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade