2 de set. de 2010

A NATUREZA É MÃE

PLANTAÇÃO DE SOJA 



Esta semana choveu granizo destruindo telhados e assustando os moradores da minha cidade. Durante quinze minutos, pedras caíram do céu como se a natureza quisesse acertar a testa de quem há séculos a agride de todas as formas. Alguns fanáticos religiosos dizem que é castigo de Deus. Deus não castiga. Ele nos deixou o livre arbítrio. E nós fizemos a escolha de destruir tudo que Ele criou.
E a natureza mostra sua força.
Agredida, ela cansou de oferecer o outro lado, e agora está dando o troco.
A pequenez do ser humano pode ser percebida no rosto e no grito de desespero de quem se viu no meio do vendaval de água e de gelo.
Temporal de granizo!
Para esfriar ainda mais os corações gelados das pessoas que nada fazem para preservar o planeta.
Temporal de granizo.
Para mostrar a nós pobres mortais que diante da fúria da natureza não existe rico e pobre, preto e branco, letrado e analfabeto. E diante de Deus somos todos iguais para recebermos a luz, e também para vermos os sinais de alerta de que alguma coisa precisa ser mudada.
Enquanto o meio ambiente, mesmo sendo agredido, luta para sobreviver e se recupera a cada dia, apenas uma minoria se preocupa em dar a sua contribuição nesta recuperação.
A grande maioria ainda lava seus carros todos os dias nas calçadas da ignorância. Milhares de pessoas de todas as classes sociais, substituem a vassoura pela mangueira deixando o líquido da vida jorrar para dentro do esgoto da nossa ignorância.  Milhares de pessoas passam horas debaixo de um chuveiro como se aquela água, além de lavar o seu corpo, também irá lavar a sua insignificância e falta de compromisso com a preservação do meio ambiente.
Como escrevi em outros textos, a força que rege a natureza está indignada com o bicho homem, que na sua ignorância suprema não pensa no futuro das próximas gerações.
“Seus netos vão lhe perguntar em poucos anos, pelas baleias que cruzavam o oceano, que eles viram em velhos livros, ou nos filmes dos arquivos dos programas vespertinos de televisão”.
Roberto Carlos nos deu esse aviso na década de setenta.
Alguém ouviu este apelo?
Nossos filhos, os herdeiros diretos da destruição, estão sendo levados pelo exemplo de pais sem educação ecológica que não reciclam o lixo, e pelo que parece, também não aprenderam a reciclar suas próprias vidas.
Quem irá pagar o preço e os juros altos da agressão sofrida pela natureza serão nossos netos.
Tufões.
Tempestades de gelo.
Tsunamis
Furacões
Chuvas ácidas.
Terremotos,
Estes são os fenômenos criados pela maldade, pela ganância, e pela falta de compromisso com a vida.
E o futuro é sombrio.
A vida da humanidade está por um fio, ou seria mais apropriado dizer, por uma gota?
Enquanto não formos atingidos na carne por um “acidente ecológico”, onde as cenas parecem coisas de cinema, não vamos tomar nenhuma atitude. Vai chegar a hora em que todos seremos atingidos no mesmo instante.
Volto a repetir.
Ainda dá tempo.
A natureza é mãe e precisa de carinho.



3 comentários:

  1. Olá Geraldo bom-dia lindo trabalho. ! A natureza talvez nem queira mais carinho, o respeito já lhe basta

    Eleuza..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena você não ter colocado seu nome e E.mail no logo abaixo do comentário,assim eu poderia responder diretamente para você. Muio obrigado,

      Paz e bem

      Excluir
  2. Geraldo, tenho acompanhado de Manaus pela TV, o que vem ocorrendo em municípios de MG. É simplesmente a natureza cobrando em dobro tudo o que lhe roubaram, amigo. Um abraço,

    ResponderExcluir

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade