5 de out de 2010

SAÚDE


Em 2004/2005/2005  trabalhei controlando Material Médico Hospitalar no Hospital Regional da minha cidade. Foi os piores anos da minha vida, vi gente morrento por falta de um FIO CIRÚRGICO de Quinze reais (R$ 15,00) que constantemente faltava nas prateleiras do Almoxarifado.
Não sei quantas vezes paguei motoqueiro do meu bolsa para ir à Belo Horizonte buscar AGULHA emprestada para não faltar um sessão de Hemodiálise. 

O Médico e a enfermeira da rede pública de saúde,comprometidos e sensíveis, vendo as prateleiras dos almoxarifados sempre vazias, devem sentir-se como uma mãe cujo filho pede pão e não tem pão, ou como um pai cujo filho chora de dor e não tem dinheiro para o remédio 


A GENTE SE ACOSTUMA

A SAÚDE AGONIZA

A SAÚDE PEDE SOCORRO

AGENCIAS REGULADORAS DESRREGULADAS

ANVISA – E O POBRE QUE SE DANE 

COMO UMA PRESSÃO ALTA

ECOS DO DESCASO 

PORQUE FALTA MÉDICO NO SERVIÇO PÚBLICO?

PROTETOR SOLAR, VERDADE OU MENTIRA?

RADIOGRAFIA DE UM HOSPITAL(DE DENTRO PARA FORA)

REVENDO A HIPERTENSÃO

SERÁ QUECHEGOU A HORA DE MORRER?

SUS -SISTEMA ÚNICO DA SACANAGEM

UM COLÍRIO PARA OS OLHOS

Um comentário:

  1. Olá estimado Geraldo,

    Boa. Gostei desta.
    Curta mas forte.

    Abraços de luz.

    ResponderExcluir