19 de ago de 2010

DO OUTRO LADO DO ESPELHO










Preciso escrever algo que fale de esperança para que possa acalmar meu coração, que bate descompassadamente diante das aberrações protagonizadas por políticos e empresários corruptos deste país, e infelizmente, de vários outros países deste mundo sem Deus.
Tento esquecer!
Preciso esquecer.
Mas como falar para os meus filhos que não percam a esperança, que depois da desgraça vem bonança?
Gostaria realmente de acreditar nisso!
Preciso acreditar.
Mas não consigo entender o que faz um ser humano correr tanto atrás do dinheiro e do poder. Principalmente uma grande parcela dos nossos políticos, empresários, e pregadores, que vendem suas almas ao demônio, e com o maior cinismo, frequentam e dirigem igrejas de todos os credos. 
Se a felicidade mora na simplicidade. Se o próprio Cristo quis nascer em uma manjedoura para nos mostrar que é na humildade que Deus se manifesta.
Isso quer dizer que, como os políticos ladrões e os empresários corruptos não entendem nada de Deus, acho até, que as religiões realmente comprometidas com a evangelização voltadas para os pobres, deveriam proibir a entrada desses assassinos em seus Templos e Igrejas. Porque, como é possível alguém ficar escutando a palavra de Deus, e ao voltar para casa ficar olhando para seus bens, e para seus milhões roubados do serviço de saúde, causando a morte de milhares de pessoas que morrem antes da hora por falta de medicamento e material hospitalar. Os templos sagrados não podem serem maculados com a presença de hipócritas, que roubam o dinheiro que deveria ser usado para dar dignidade às pessoas mais carentes, para que seus filhos não fiquem perambulando pelas ruas, e jogados nos braços de traficantes e bandidos que matam a troco de nada, ou simplesmente pelo prazer e matar.
Mas, olhando para os rostos dos meus filhos, vendo de perto suas atitudes diante da vida, renovo minhas esperanças de um mundo melhor. E gostaria que todos os pais e mães enxergassem esse mesmo brilho ao olharem para seus filhos.  Para que juntos, essa juventude de todas as raças e de todos os credos, possa realmente voltar a cantar: “Se o penhor dessa igualdade conseguimos conquistar com braço forte, em teu seio, ó liberdade, desafia o nosso peito a própria morte!
Penhor, quer dizer garantia e segurança, essas mesmas que nos foram roubadas pelos corruptos de mandato.
E que o canto de liberdade se faça ouvir nos quatro cantos desse país, para que enterremos de vez os sobrenomes da política corrupta, e os partidos que não passam de quadrilhas de bandidos. E que os novos políticos não se deixem levar pela mesma ganancia e corrupção, e que todos os brasileiros possam voltar a viver em um país onde ninguém tenha vergonha de ser honesto. 


4 comentários:

  1. Geraldo,
    Neste texto vc se superou....

    Muito bom..

    A.Paula

    ResponderExcluir
  2. Espelho, espelho meu...
    Uma reflexão através do espelho.Bom texto, bom conselho!Parabéns!
    Alexandra.

    ResponderExcluir
  3. A vida deve ser uma constante olhadela no espelho,inclusive o retrovisor amigo.Bela inspiração.Boa reflexao.Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Olá Geraldo, gostamos tanto do seu texto hoje lá no ECC no Inconfidentes que vamos levá-lo na segunda no encontro. Muito válido todas as reflexões. Elaine e Marco Aurélio

    ResponderExcluir

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade