16 de dez de 2010

MULHER.



PATRÍCIA E MÁRCIA, SIMPLESMENTE MULHERES

SIMPLESMENTE MULHER.







                                                               MULHER

Agora o desafio é prestar homenagem ao ser que dá um toque especial em tudo que toca.
Que não deve ter o seu dia comemorado com uma rosa, ou um simples cartãozinho, dizendo friamente: Parabéns pelo seu dia.
Mulher.
Que hoje é mais pai que muitos homens.
Que é luz.
Por dar a luz.
Eu poderia escrever a noite inteira enaltecendo a beleza e a sensualidade da mulher brasileira, mas não quero mirar apenas no corpo que encanta, ou no charme que hipnotiza, não quero enaltecer somente a mulher gostosa que arranca suspiros por onde passa.
Se fosse simplesmente para enaltecer a beleza, seria fácil demais, porque muitas vezes ela é explorada e exposta como mercadoria que se pode comprar.
Engano total.
Mulher não se compra.
Muitas vezes compra-se apenas um corpo.
Quero falar do ser humano mulher.
Segundo a Bíblia, o homem era um ser solitário e precisava de uma companheira, então o Criador, em um dos seus melhores momentos de lucidez e perfeição, criou a mulher.
Desde então, sem que ninguém perceba e sem estardalhaço, ela vai ocupando seu espaço, e sem dúvida nenhuma, é a controladora do universo.
Mulher.
Não foi concebida para ser somente Eva.
Foi escolhida para ser testemunha da primeira visita que Deus nos fez para aprimorar sua obra prima, isso só poderia acontecer com a sua participação, ao dizer o sim ela inseriu seu jeito e seu carisma na história e trajetória do mundo. Na grandeza de tudo saber, e na humildade de ficar sempre na retaguarda, manteve-se firme ao pé da cruz, para tomar no colo o corpo outrora gerado para ser salvação. 
Mulher.
Sexo nada frágil, de corpo e alma, espírito e sensibilidade que encantam.
Mulher do lar.
Escravas do cotidiano, que depois de dividir o espaço do seu corpo com um filho, sofre a dor do parto para que o mundo possa ouvir um novo choro, e mais tarde, o sorriso de alguém que talvez no futuro vá agradecer o milagre do nascimento, ou amaldiçoar o dia em que veio ao mundo e cometer o sacrilégio de esquecer que teve uma mãe.
Mulher pobre ou rica.
Pobre mulher!
Que raramente recebe do companheiro um afago de carinho, e quase nunca sabe o que é atingir um orgasmo de verdade, chegando às vezes a mentir dizendo que foi bom. Que trabalha o dia todo e todos os dias, cuidando da cria do homem que se considera superior, e acha que ela veio ao mundo para parir, cuidar da casa e dos filhos, e fazer as vontades do macho. Mulher, que abandonada assume o papel de pai, cuidando dos filhos como se fossem diamantes brutos colocados sob seus cuidados, e incansavelmente cumpre a tarefa de lapidá-los, transformando a maioria em verdadeiras joias que enfeitam sua vida, fazendo-a sentir-se uma deusa que cumpriu sua missão.
Mulher abandonada, que escrava da ignorância deixa-se vencer, e às vezes, morre vítima do seu “dono” que em algum momento teria dito que ela era o amor da sua vida.
Mulher.
Se for para elogiar a minha mulher daria para escrever uma vida inteira, mas ela não é minha, porque se assim fosse não teria liberdade.
Ela é simplesmente livre.
Simplesmente mulher.
Entrar no seu íntimo é pisar em ovos, é navegar em águas calmas e turbulentas.
Veio para ficar, não compete com o homem porque se o mesmo for inteligente, verá que não se pode competir com aquela que veio para dar rumo a quem estava perdido, e completar o que realmente estava incompleto.                         
Mulher.
Hoje, mais do que nunca imprescindível na formação do futuro da humanidade, agora a nova mulher é: 
Mãe                                                                                            
Engenheira.                                                                           
Médica.
Motorista.                                                                             
Gari.
Secretária.                                                                           
Empresária.
Policial.                                                                      
Política.
Presidenta.
Ela é o que quiser, e tudo ao mesmo tempo.
Que não exista somente um dia para ser lembrada, mas uma vida inteira para ser reverenciada como a obra mais importante de Deus, porque foi concebida para dar vida.
E vida em plenitude.


7 comentários:

  1. Rev. Edward Tavares5 de março de 2011 15:30

    Parabéns pelo lindíssimo texto. Não poderia haver homenagem melhor do que tal reconhecimento em torno daquela que de fato é a mola propulsora da vida (abaixo de Deus, claro). De fato, é simplesmente impossivel homenagear a mulher, com flores ou presentes. Somente a partir de um sincero reconhecimento do que ela é e faz, é que conseguimos fazê-la receber pelo menos parte daquilo que ela merece. Parabéns! E salve esse maravilhoso ser chamado: MULHER!

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso seu texto e maravilhosa sua sensibilidade. Parabéns Geraldo e parabéns a todos os homens por reconhecerem o papel das mulheres no mundo.

    ResponderExcluir
  3. parabéns querido, pelo texto, e muito obrigada por reconhecer a importância da mulher no mundo e na sociedade...

    ResponderExcluir
  4. Oi Geraldo, Obrigada pela parte que me cabe, sou ORGULHOSAMENTE MULHER!
    Vaidosamente CABOCLA. Só os homens sensíveis valorizam suas parceiras, companheiras de jornada, aquelas que se entregam com amor. Parabéns por tua força e sapiência. Em peça de teatro na usina de letras, tenho a mais solicitada. cifrada, cantada. MULHER! É O BICHO!... se você gostar transfira a elas, de tudo aquilo que os homens dizeram a nós escrevi. Mulher! é o Bicho! (Parabéns. Ana Zélia- Manaus)

    ResponderExcluir
  5. Boa noite estimado Geraldo,

    Grata pela mensagem, que me enviou.
    Li seu texto com atenção e consternação.
    Diz, fala imensas verdades, sabe?
    Eu não estou de acordo com o Dia Internacional da Mulher, porque nos discrimina.
    Nós não precisamos de um só dia, precisamos dos 365/6 anuais.
    Porque não se celebra, também, o Dia Internacional do homem?
    Perguntas sem respostas.

    De qualquer maneira, não quero deixar de demontrar a minha solidariedade por todas as mulheres, que não têm um lugar ao sol.

    Graças a Deus, eu pertenço ao outro grupo, bem menor, mas muito feliz e amado.

    Beijos de luz.

    PS: vi a foto de sua esposa, penso eu, e de uma outra senhora, em Paris. Bem gostoso!

    ResponderExcluir
  6. O amigo, em seu trabalho, separou muito bem a mulher objeto da mulher do dia-a-dia. Essa perfeita separação deu ao seu trabalho, que me parece ser mais uma crônica/poética. porto que não é crônica no sentido lato e nem é poesia no sentido estrito, o charme necessário e preciso a tudo o que existe de clichês baratos. Perfeito, amigo. Um abraço Geraldo, que tenho o prazer em tê-lo entre meus amigos virtuais e possuir seu blog em meu blog, mas ainda não vi se o meu está também no seu, mas isso é o que menos importa.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelo belo texto, Geraldo. Estou compartilhando no Facebook. Abs.

    ResponderExcluir