5 de abr de 2013

DESEJO DE TE AMAR



O dia está amanhecendo
Lá fora uma chuva fina a me embalar
Imagino seu corpo
Nos lençóis a se virar

E no imaginário quase real
Parece que estou a te tocar
Então abro a porta do nosso quarto
Me perco na magia a te olhar

E num silencio que acalma
Esta cena é um convite
Mas por amar como te amo
Meu corpo suplicante resiste

Da vontade de te acordar
Do desejo de te amar
De ter seu corpo nos meus braços
E no prazer me entregar

Então espero o momento certo
Aguardando seu despertar
E quando nossos olhos se cruzarem
Outra vez vou te amar

Com minhas mãos a te tocar
Com loucura vou te amar
na paixão que arrepia
Por inteiro vou me entregar

O dia já nasceu
E eu... te espero

Um comentário:

  1. Muito emblemático e perfeito seu poema. Ah, sempre são doces os caminhos que levam aos braços da mulher amada. Se enroscar neles, durante as noites e madrugadas, se perder no tempo, ouvindo o barulho do vento, olhando as estrelas, a lua e o céu é melhor ainda. Um abraço, amigo.

    ResponderExcluir