5 de fev de 2018

O QUE SOBROU DE MIM






Deixa a luz do seu olhar
brilhar na escuridão
que se transformou a minha vida
quando magoei seu coração
Mostre-me novamente
o seu sorriso encantador
para que eu possa me sentir mil vezes arrependido
de ser um tolo enganador
Fale com a ternura que só você sabe falar
para que eu possa amargamente me arrepender
das vezes que teimei não enxergar
que sem você não sei viver
Sinto falta do perfume que seu corpo exala
está difícil ficar sem ouvir a sua voz
depois de tantos erros e desenganos
preciso resgatar o amor que havia entre nós
Eu sei que muitas vezes é difícil perdoar
coloco em suas mãos o que sobrou de mim
e suplicante, humildemente, te imploro
não me deixe sofrendo assim
Sei o quanto errei
sei também do muito que te amei
é por isto que te chamo
não sei qual vai ser a sua decisão
percebi, no fundo do meu coração...

Eu te amo...

Um comentário:

  1. Um poema muito triste, mas mostra bem seu arrependimento. Todo o mundo erra, Geraldo e se seu eu-poético errou, creio que sua amada irá entender.

    Me dê notícias, por favor, logo que lhe seja possível. Algo está se passando.

    Teu netinho está bem?

    Um abraço enorme e um beijo para Bernardo.

    ResponderExcluir