5 de mar de 2013

SINALIZADOR DA FALTA DE JUSTIÇA

ELE QUERIA APENAS TORCER PARA O SEU TIME






Detesto todos os tipos de fanatismo, o religioso faz o crente comprar o inferno enquanto paga para entrar no céu. O fanatismo político faz as pessoas amarem os ditadores, e transformarem-se em puxa sacos de sacanas que só sabem roubar o dinheiro dos impostos. O fanático idealista diz que ama o seu país, ou seu time de futebol acima de todas as coisas. Não sou fanático por nada, gosto de futebol apenas na televisão. Assisto qualquer jogo. Quando o time da minha simpatia perde é como se nada tivesse acontecido, afinal os milionários jogadores não povoam a minha mente.
Se tiver que dar a minha vida por alguma coisa, será pela minha família. Tenho escrito sempre que não morro de amores e não sinto nenhum orgulho de ser brasileiro, enquanto as câmaras de vereadores e de deputados, e o senado continuarem sendo frequentado por ladrões (com raríssimas exceções).
É claro que vou ser contestado por muitos que não concordam com as minhas ideias.
Isso é natural.
Isso é saudável.
No futebol torço contra a seleção desde que ela começou a correr atrás do tetra, e espero que nunca alcance.
E depois do fanatismo idiota de um torcedor do timão, que afundou ainda mais na lama o nome do Brasil ao assassinar um jovem dentro do estádio, sinto-me mais à vontade para torcer contra esses times que se acham donos de mundo e de todas as verdades.
É uma pena os grandes times apoiarem esses grupos de bandidos, chamados de “torcida organizada” em detrimento da grande maioria que gasta o que não tem para apoiar o seu time do coração.
A mídia esportiva de São Paulo, com raríssimas exceções, deveria tomar vergonha na cara e parar de dar ibope para este time e sua torcida de marginais. Ouvi várias vezes alguém dizer que o time não tem nada a ver com o episódio que culminou na morte de menino.
Ora! Não precisa ser especialista para saber que a torcida é parte integrante de um time, sem ela eles não existiriam.
Quando apresentaram um” de menor” para assumir a autoria do crime, brincaram com a inteligência de todos nós. Depois vem o advogado com a frase mais espetacular dos últimos tempos: “Vou provar que meu cliente é culpado”.
Quero ver a reação das autoridades diplomáticas do Brasil. Se realmente este “de menor” é o assassino, ele deverá ser julgado na Bolívia. Porque somente em um país sem lei um “de menor” não vai para a cadeia.
O Brasil é o maior país da América do Sul. Será verdade? Estamos tendo aula de justiça com os bolivianos. Que adianta ser o maior em extensão territorial e de riquezas naturais, se eticamente falando, somos de quinto ou sei lá quantos mundos, e um dos primeiros em falmacutaias.
Este é o “meu país”!
Um jovem com quase dois metros de altura com menos de dezoito anos, pode matar, roubar, traficar drogas, eleger um presidente, vender seu voto para um sacana. Mas não pode ser preso.
Esta é justiça do país onde nasci, e que sem sombra de dúvidas não merece o meu respeito.
Este foi o Sinalizador da falta de justiça em um país sem lei.




2 comentários:

  1. Bom Dia, Geraldo ♪♫

    Gritar nossos protestos, nossa tristeza e demonstrar nossas emoções abrindo o coração através da música ou da poesia torna tudo mais vivo e mais marcante de forma menos dura ou impactante. Incrível! Agradeço o carinho do comentário deixado em meu blog.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Geraldo!

    Obrigada por sua visita e gentil comentário.

    Não vou tecer considerações, sobre o seu texto, sobre a sua Pátria, mas você sabe o que penso.

    SOU CONTRA O DIA INTERNACIONAL DA MULHER E SUA CELEBRAÇÃO. ISSO SE CHAMA DISCRIMINAÇÃO.

    Todos os dias são para os homens e para as mulheres, de forma igual.

    Saudações.

    ResponderExcluir

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade