14 dezembro, 2011

TRAGÉDIA ANUNCIADA


Se o dinheiro dos impostos não fossem roubados
a vida de milhares de pessoas poderia ser muito diferente




Fico ouvindo e vendo as imagens das tragédias anunciadas que acontecem em quase todos finais e começos de anos, e não posso esconder minha indignação.
Todos os anos as manchetes de jornais, revistas, rádios, e emissoras de televisão são as mesmas: “TRAGEDIAS ANUNCIADA”.
Trabalhadores incansáveis, pagos ou voluntários se desdobram para salvar vidas.
Famílias inteiras são levadas pelas águas, pela lama e pela inércia dos donos do poder que nunca investem em obras para resolver o problema dos mais pobres.
E os pobres se mostram solidários.
E os pobres choram suas dores na frente das câmeras de televisão.
E o que fazem os políticos?
A maioria nem sequer toma conhecimento, afinal, moram em mansões que não correm perigo de desabar, em sua grande maioria, construída com o dinheiro roubado dos cofres públicos, e que poderia ter sido investido para evitar tanto sofrimento.
Autoridades dos governos quase sempre visitam os locais mais atingidos e prometem que ali isso nunca mais irá acontecer, e que irão dar toda assistência necessária às vítimas.
Balela!
E os atingidos das tragédias anteriores?
A vida de quem sofreu alguma perda foi amenizada? Deixaram de morar em área de risco e o governo providenciou uma moradia digna para todos os desabrigados?
Tenho absoluta certeza de que os “herdeiros” das desgraças passadas continuam sofrendo suas perdas até hoje.
O grande problema do nosso país é que o povo tem memória curta.
As tragédias são facilmente esquecidas.
Em fevereiro os gritos de desespero de quem perdeu quase tudo será abafado pelo barulho da cuíca roncando nos festejos dos carnavais.
Quando essas tragédias acontecem em ano de eleição a maioria dos políticos agradecem aos céus por ter deixado cair tanta água, e novamente fazem promessas que não serão cumpridas para angariar votos dos eleitores que já se acostumaram com as tragédias e com enganações.
Confesso que não sei qual das duas letal, a tragédia que vem da natureza, ou a que vem da politicagem sórdida protagonizada por políticos ladrões.

2 comentários:

  1. Meu amigo assino com voce,mas com o coração partido vendo as imagens de uma Belô tão vulneravel às chuvas, com as mesmas cenas de outros anos.O dinheiro sobra neste país, para os bolsos de alguns.As tragedias se repetem e vão ser piores nos proximos meses,pois a natureza tem dado o troco.
    Belo grito e que assim seja, nao calar nunca.
    Meu abraço.

    ResponderExcluir
  2. Olá querido Geraldo,

    Essse texto, você escreveu há um ano e está tão actual, tão na moda, infelzmente.
    Continua a desigualdade gritante.
    Detesto futebol e tudo o que tape a mente da lucidez humana.
    Me faz lembrar a França, no século XVI, com Maria Antonieta.

    Excelente dia!

    Beijos de luzzzzzzzzzzzzzz.

    ResponderExcluir

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade