4 de mai. de 2011

A BATALHA FINAL

FOI ESTA A VIDA QUE DEUS IMAGINOU PARA OS SEUS FILHOS?
















Este texto foi escrito em 2009. 


ejam o que está acontecendo com o nosso país governado por um político fascista ganancioso.
No mês passado os Juizes Federais  fizeram uma greve porque um salário de R$ 26.000,00 é muito pouco para uma jornada de trabalho que eles mesmos decidem como quiserem.










Ainda tenho na memória os horrores da guerra onde crianças eram carregadas no colo como um presente quebrado.
E fico pensando... Até quando o homem vai continuar sendo o animal mais cruel e assassino do universo? Será que a paz é uma utopia? Parece que sim.
Então a vida é de mentira!? O Deus que acreditamos é de mentira? Enquanto milhares de pessoas são assassinadas de forma sangrenta, os líderes de todas as religiões se empanturram em almoços festivos em seus palácios construídos pela ignorância. E se dizem homens de Deus. Se esses “embaixadores do bem” acreditam de verdade que possuem um canal de ligação com o Criador, porque não se unem e exijam que Ele acabe com as guerras?
Aí dirão que sou ateu e herege. Que Deus deu a todos o livre arbítrio.
Será que tudo não passa de uma farsa? Ou a guerra é importante para enriquecer cada vez mais os aproveitadores de plantão?
Não dá para entender. Palestinos e Judeus são dois vizinhos que não se entendem, e cada um quer invadir o espaço do outro.
E a guerra continua.
Traficantes e policiais não se entendem, e vão ceifando vidas de inocentes que não sabem em quem confiar.
E a guerra continua.
Marginais e policiais se entendem muito bem, criam milícias para extorquir dinheiro das pessoas pobres da periferia, matam a troco de nada, e vivem livremente como reis em seus palácios.
O capitalismo selvagem arranca milhões dos governos, e continuam demitindo seus empregados como se fossem materiais não recicláveis.
E a guerra continua.
E as vítimas sentem-se perdidas. Abandonadas. Discursos e mais discursos de quem detém o poder são usados para iludir o povo fazendo todos acreditarem que a situação está sob controle.
E está mesmo...
A situação deles. Que não precisam se preocuparem com a conta de água e de luz vencidas e na iminência de serem cortadas. Não precisam se preocuparem com a receita amarelada no fundo da gaveta, nem ouvir o choro do filho pedindo um prato de arroz com feijão.
E a guerra continua.
Um dia a insatisfação escondida dentro de cada um vai explodir, um povo cansado de guerra vai lutar sua última batalha. E nada vai deter a fúria de quem se sente acuado e sem esperança.
Ainda dá tempo de evitar a batalha final.
Os empresários e o sistema financeiro que construíram verdadeiros impérios com o lucro exorbitante, resultado do trabalho de muitos escravos do sistema, precisam garantir empregos para a sobrevivência da dignidade.
Nossos políticos precisam parar de conferir seus extratos que mostram o saldo da desigualdade. Para deixar que o povo também receba a sua parte da herança acumulada neste país das falmacutaias. Muitos líderes religiosos precisam parar de serem hipócritas vendedores de milagres, e abraçarem de vez a opção pelos pobres, pela caridade esquecida, para que cada cidadão, dentro da sua escolha pessoal, possa realmente sentir-se escolhido do Pai. Não apenas para ser brinquedo, ou para financiar a falsa fé dos aproveitadores que cobram dízimos de sangue.
Para terminar, é urgente que seja formada uma grande corrente para estancar o câncer da corrupção, principalmente dos políticos, que contaminam tudo ao seu redor, matando os sonhos de quem constrói este país com honestidade,

Um comentário:

  1. Um belo texto de repudio a este estado de coisa que tanto nos incomoda a alma.a exploração, a violencia estampada em cada esquina, a violencia contra as mulheres e toda esta onda de corrupção que assistimos a todo instante causando uma certa apatia na gente.Mas ainda acredito que esta coisa ainda mude com todos estes corruptos na cadeia.Um abraço amigo.

    ResponderExcluir

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade