18 de set. de 2010

CARIDADE NÃO É ESMOLA


Resultado de imagem para que a mão esquerda não veja o que a direita faz















Caridade não é estender o braço e jogar um trocado no chapéu ou na latinha do esmoler, sem sequer olhar no seu rosto para ver qual foi sua reação.
Caridade é muito mais ampla.
É acolhimento.
Entrega.
Partilha de verdade.
Acolher a pessoa que implora e escutar dela o motivo que a faz perambular se humilhando de porta em porta, é a única maneira de saber com quem está lidando. algumas vezes o motivo é fútil, porque o pedinte não precisa de quase nada, pede porque acostumou e acha mais fácil que trabalhar.
Mas se não houver a conversa, o olho no olho, como julgar?
Caridade é conhecer e combater os mecanismos e instituições que promovem a pobreza.
Mas para isso é preciso ter coragem. De enfrentar os poderosos que com suas mentiras e suas caras de santos prometem o céu, para que os pobres vivam no inferno. O grande papel da caridade não é simplesmente matar a fome. É muito mais abrangente, e seu público alvo nem sempre é alguém que está na miséria. Quando jovens de classe alta saem cometendo barbaridades pelas ruas, espancando e até matando pessoas inocentes, podem ter certeza, na casa deles a caridade nunca foi praticada.
Depois de ver seu filho preso por agredir pessoas inocentes na rua, um pai diz que não o mesmo não pode ser preso, por que é apenas uma criança, que está cursando uma faculdade. Certamente esse pai não viu o filho crescer. Talvez porque os compromissos sociais eram mais importantes.
Faltou a caridade que acaricia e cobra deveres.
Educação de banco de escola não forma cidadãos, forma profissionais.
Fazer caridade é...
Enfrentar as meias verdades dos que matam a mãe todos os dias, pedindo dinheiro para ir ao hospital ou para um sepultamento.
A melhor maneira é, inicialmente não doando nada material, primeiro tem que doar um pouco do tempo, e depois um pouco da vida.
Conhecer as instituições sérias voltadas para esse trabalho, para estar encaminhando essas pessoas. Isso fará que uma sindicância seja feita a fim de se conhecer a realidade do que está sendo narrado. Aí sim a ajuda material ganha uma nova conotação, pois quem está doando terá certeza que o destino da doação será realmente para uma causa justa.
Portanto, quando alguém lhe pedir algo pelo amor de Deus, não negue, dê-lhe a atenção que merece, por amor ao ser humano, criado à imagem e semelhança do Pai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade