20 maio, 2021

NÃO SOU SANTO

 

                             NÃO SOU SANTO      


Respeitando as ordens do coração deixei a caneta deslizar sobre o papel como se minha mão não fosse minha. 
Então escrevi:  Obrigado senhor por mais um dia, não importa se chova ou faça sol, a sua luz continuará brilhando para todos. 
E mais ainda para os que acreditam...
Que o mundo não é feito apenas de moedas e cifrões.
Que a felicidade não mora somente nos palácios, nos holofotes do poder, e muito menos na busca desenfreada pelos prazeres da carne,
Que só se constrói uma vida plena de alegrias plantando amor, adubando com caridade, e colhendo com paciência. 
Que só se constrói um mundo melhor semeando paz, adubando com ternura, e colhendo com mansidão.
Tem sido assim ao longo dos séculos. Somente os sábios, não importando a cor da sua pele, sua crença e sua posição social que conseguem despojarem-se dos bens materiais, do egoísmo e da luxúria, merecem viverem em plena felicidade.
E a história nos mostrou muitos sábios e santos, como os de hoje. 
Gandhi 
Tereza de Calcutá. 
Martin Luther King. 
Irmã Dulce. 
Papa João Paulo II
Papa Francisco
Chico Mendes
Irmã Doroth. 
E muitos outros SANTOS E SANTAS anônimas sofrendo as dores do mundo como exemplos de santidade.
Se embrenhando nas matas para defenderem a natureza sempre agredida, e o que resta do povo indígena que continua sendo assassinado.
Que sobem as ladeiras das favelas e dos guetos para ajudarem milhares de brasileiros e brasileiras que vivem igual ou pior de como viviam os escravos da maldade.
Que percorrem as ruas das pequenas e grandes cidades durante o dia e nas madrugadas para matar a fome e dar apoio a milhares de deserdados do sistema capitalista, e órfãos dos governantes que pela constituição tinham o dever de lhes proporcionar uma vida digna.
Não sou o exemplo. 
Não sou santo.
Não sou sábio.
Apenas escrevi.
Mas mesmo na minha ignorância, posso seguir os passos dos santos que não tiveram medo de abraçarem sua cruz, para juntos nos aproximarmos mais do céu que mora dentro de cada um de nós, filhos de Deus.
Estou revisando meus textos. Este foi escrito em 2007. 
Mas em plena pandemia do Corona Vírus que o governo insiste ignorar, percebi que não poderia deixar de citar esses SANTOS E SANTAS enfermeiras e enfermeiros, médicos e médicas, e os outros profissionais que colocam suas vidas e as de seus amados em risco, ao ficarem nos hospitais lutando sozinhos para salvar a vida de milhares de brasileiros e brasileiras reféns de um sistema de saúde pública, (SUS) que na sua essência seria o melhor do mundo. Mas na prática é um calvário para os pobres que morrem por falta de medicamento e de material médico hospitalar. E agora por falta de uma vacina e de um respirador que o presidente não quis comprar, e ainda pior, morrem porque as verbas alocadas para este setor são constantemente desviadas para os bolsos de empresários gananciosos e de políticos sem escrúpulos.
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade