06 abril, 2020

ESCRAVOS

Resultado de imagem para crianças com celular
É ASSIM QUE QUER VER SEUS FILHOS?





10 sugestões ao ar livre para estimular o brincar das crianças
NÃO SERIA MELHOR ASSIM?
                                                         












ESCRAVOS       

 

Um disco de vinil tocando na vitrola parece querer me dizer que não sou ultrapassado, contrastando com o que algumas pessoas insistem em me dizer.
Meu neto com dois anos e poucos meses todas as vezes que vem à minha casa corre para perto da vitrola, pede para colocar um disco e fica dançando ao som do vinil. E sou muito agradecido a Deus  por poder dançar com ele, o que para mim é motivo de grande contentamento e emoção.  Estava tão embevecido com a alegria do meu neto que nem prestava atenção nas músicas, e de repente Roberto Carlos estava cantando a música: Jesus Cristo. E em oração pedi a Ele que não me deixe escravizar por nada e por ninguém.
Constantemente ouvimos dizer que esta é a era da tecnologia, e eu seria um idiota se dissesse o contrário.
Estou aposentado e não tenho nenhum compromisso profissional, e na minha talvez estúpida visão, não preciso ser escravo de nenhuma geringonça eletrônica.
“Jesus Cristo eu estou aqui” é o refrão da música. Ele sabe que estamos aqui, e com certeza queria que todos estivéssemos presentes de corpo e alma.
Com muita tristeza fico observando crianças que ainda não aprenderam sequer a engatinhar segurando um aparelho eletrônico qualquer em suas pequeninas mãos. Com muita tristeza fico observando meninos e meninas com dez anos ou menos andarem soltas pelas ruas como se não tivessem ninguém a espera-las, enviando e recebendo mensagens, vendo vídeos que quase nada acrescentam em suas vidas. Com muita tristeza fico observando pessoas idosas clicando freneticamente enquanto atravessam as ruas sem ao menos perceberem que podem sofrer um acidente fatal.
E honestamente!  Não sei o que estou fazendo nesse mundo onde o ser humano está cada vez mais robotizado e insensível. A grande maioria é escrava do celular que agora não é mais telefone. A grande maioria é escravizada pelas redes sociais e pelos sites de relacionamentos que afastam as pessoas. Por duas vezes tentei me conectar ao face-book para divulgar o que escrevo.  Nunca vi nada tão perverso e inútil. Poucas pessoas postam algo que tenha relevância, e qualquer futilidade é muito vista e compartilhada e as postagens uteis caem logo no esquecimento.
Posso dizer com muita alegria: não sou escravo de nenhum chip, prefiro ficar conectado com Deus e com as pessoas, e só uso o celular para o estritamente necessário.
Sou muito feliz. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade