7 de dez de 2018

MENSAGENS DE FINAL E COMEÇO DE ANO

       
Este texto foi publicado em 2010, estamos em 2018. e nada mudou.
                                    
                                        ENTRA ANO, SAI ANO...

PARA A GRANDE MAIORIA, NATAL É FESTA DE MENTIRA. E O ANIVERSARIANTE NÃO PARTICIPA.


Este texto foi publicado em 2018, e neste ano de 2018, estamos vendo uma quadrilha de políticos ladrões, sentados nas poltronas do Congresso Nacional, destruindo o país de um povo pacato e festeiro. 

Vai começar mais um ano.
Milhares de pessoas juram que tudo vai ser diferente. Fortunas são gastas com foguetes em espetáculos pirotécnicos que duram alguns minutos.
Dinheiro jogado pelo ar. Dinheiro jogado fora.
Nas estradas, malconservadas centenas de pessoas perdem a vida, e outras tantas ficam feridas, acabando com a alegria de final e começo de ano.
Todo final e começo de ano é a mesma coisa.
Pessoas se abraçam e juram que muita coisa vai mudar, mas tudo continua exatamente como começa e termina.
Como um vídeo-tape maldito as tragédias anunciadas se sucedem, e a natureza parece escolher exatamente esta época para mostrar sua revolta. 
Contra a destruição do planeta. Contra o ser humano. Que consome fortunas para iluminar os céus com foguetes em festas de mentira para alegrar uma legião de pessoas sem compromisso, e sem nenhum senso de responsabilidade com a preservação do ecossistema.
Contra o ser humano. Que canta e dança, come e bebe, enquanto cidades inteiras estão debaixo d`água trazida pelos rios e córregos poluídos, e em agonia  invadem ruas e casas destruindo tudo e matando pessoas;
Enquanto somente os pobres e ribeirinhos de córregos imundos eram atingidos, o clamor da mídia era apenas um sussurro. Infelizmente o braço de vingança da natureza teve que atingir um paraíso natural, (Angara dos Reis), onde pessoas de melhor poder aquisitivo se preparavam para comemorar. 
Aí foi tragédia.
Morte e festa não combinam.
E todo ano é assim
Toneladas de lixo são jogados nas ruas, e barracos são construídos nas encostas, e na beira de córregos. Prédios e mansões são construídos em encostas desmatadas das chamadas áreas nobres das grandes cidades.
Os governantes fingem-se de mudos.
Fingem-se de cegos.
Com o aumento dos atingidos pela tragédia, aumenta também a possibilidade de resolver o problema de alguns, a troco de voto na eleição seguinte.
E mais uma vez os políticos sacanas colocam seus puxa-sacos nas ruas, para comprarem os votos necessários para mais uma reeleição.
Inundações.
Tragédias.
Acontecimentos corriqueiros de fim e começo de ano.
Tudo se repete.
Liguei o televisor no dia dois, a programação ou a falta de dela era exatamente a mesma. Um pregador profissional pedia dinheiro no maior descaramento, ainda teve a audácia de dizer que pedia somente para a igreja, porque é bem-sucedido no ramo da literatura, que era o pregador que mais vende livro no país. Para justificar-se disse em alto e bom tom, que a maior empresa de cosméticos do país comprou de uma só vez 500.000 livros de sua autoria para que seus revendedores os distribuíssem.

Entra ano e sai ano e tudo fica na mesma como se fosse uma gravação, ou uma foto tirada do fundo de uma gaveta.


                                          FELIZ NATAL TODO DIA
              

                                      



Eu queria que todo dia fosse natal
para que a paz fosse lembrada,
a solidariedade praticada,
e o amor repartido.
Eu queria que todo dia fosse natal,
para que as pessoas se encontrassem,
para se abraçarem de verdade,
num encontro alegre e festivo,
de quem estava com saudade.
Eu queria que todo dia fosse natal,
e não ter que esperar um ano inteiro,
para ganhar um presente,
um afago,
um abraço,
um beijo,
Eu queria que o aniversariante,
viesse todos os dias

participar desta festa
que é natal, e que só tem sentido,
ao ser celebrado em família,
que partilha,
sendo parente,
ou não!
Feliz Natal.




FELIZ NATAL SE QUISER E PUDER



                   

NAS CASAS DESSES MENINOS, O NATAL ACONTECE?



Eu não consigo me comover com a chegada do NatalOs corações, só amolecem uma vez por ano!

Não vejo nenhuma beleza na árvore enfeitada. As luzes são por demais artificiais
Não consigo me sentir bem diante da mesa farta, enquanto milhares de barracos não têm sequer uma mesa. Não me vejo dando e recebendo presentes, porque muitas vezes, é mera formalidade social onde sentimento de partilha está ausente.
Não aceito a brincadeira do amigo oculto, se ficou oculto o ano inteiro não é amigo, deveria ser: brincadeira do amigo que mais gosto.
Não me acostumo com o pipocar da rolha do champanhe, enquanto na periferia o barulho é o pipoco do tiro que mata.
Então não existe nada a celebrar?
Existe...
A vida.
O advento.
O menino.
O Cristo
Que não quer presente de pessoas ausentes. Que se quisesse festa grandiosa, não teria escolhido um cocho (Manjedoura) para nascer. 
Eu quero me sentir comovido nesse dia quando todos se perdoarem. Vou sentir a beleza da árvore e dos enfeites quando a luz do alto penetrar nos corações de todas as pessoas, e eu tiver contribuído para que isto acontecesse.
Eu só posso me alegrar com a mesa farta quando o pão não for exclusividade de poucos
Quero dar e receber presentes somente quando Papai Noel conseguir colocar um brilho de felicidade nos olhos de todas as crianças.
Nos corações de pretos e brancos, ricos e pobres.
De homens e mulheres de todas as raças e de todos os credos
Feliz natal.
Eu sei que mudar a cara do mundo é tarefa por demais pesada, então vamos comemorar melhorando o pedaço do mundo que está ao nosso alcance, para que na hora da reunião festiva com os parentes e amigos, poder dizer ao aniversariante: reparti um pouco da minha vida.
E no resto, torcer para que milhares de pessoas façam o mesmo.
Que o advento aconteça todos os dias, nos corações dos que acreditam ser preciso lutar pela JUSTIÇA, pela PAZ e pela ECOLOGIA.


                                              QUATRO MESES DE AGONIA

A vida do brasileiro comum é um verdadeiro martírio, durante quatro meses no ano. Para ser mais preciso, o último do ano anterior, e os três primeiros do famigerado ano novo são dias de horrores, ocasião em que os políticos com seus impostos abusivos fazem da vida de todos nós um verdadeiro inferno.
Que de novo nunca tem nada.
Agora vamos tentar entrar nesse emaranhado de falmacutaias que começam no fim de ano, e continuam no ano seguinte.
                                                  
                                                                DEZEMBRO
Logo no começo entra em cena a máfia das formaturas, que com a conivência de escolas e universidades, tentam arrancar tudo e um pouco mais de quem penou para conseguir pagar as mensalidades cobradas pelas instituições de ensino.
Pasmem!
A modernidade obriga a se fazer festa até em formatura de crianças do Jardim de Infância, hoje denominada Escola Infantil.
E pergunto...
Essa criança está se formando em quê?
No ensino fundamental e médio, o jovem está se formando em quê?
E dá-lhe festa!
Nas faculdades e universidades o gasto com a formatura chega a beirar o absurdo, os formandos que não são ricos, de uma hora para outra transformam-se em camelôs e começam a vender todo o tipo de bugigangas, a fim de arrecadar fundos para a bendita ou maldita festa.
Um livro de fotos (o chique é falar Book de Formatura) chega a custar a bagatela de R$ 5.000,00, e o representante da empresa faz tanta chantagem emocional, que muitas vezes o aluno aceita parcelamento e paga para as fotos amarelarem no fundo de uma gaveta.
Algumas instituições cobram para emitir e entregar o diploma ou certificado, mesmo sabendo que é contra a lei.
Logo em seguida vem o Natal, a maioria não está nem se lixando se esse dia é ou não para comemorar o nascimento do menino Deus; que nasceu dentro de um curral e foi acomodado em um cocho usado para alimentar os animais. As cidades se enfeitam, e o que se consome de energia elétrica, talvez pudesse evitar o horário de verão que meche com o metabolismo das pessoas. O comércio precisa faturar e a confraternização é geral; as propagandas de falsas ofertas enfeitam as lojas e povoam o pensamento das pessoas.
De repente, “sem mais nem menos, é preciso comprar aquela televisão de 42”; e a máquina de lavar já ficou velha demais. Os noticiários mostram os shoppings superlotados e as pessoas com os braços cheios de sacolas subindo e descendo escadas, parece que todo mundo sente obrigação de também dar um pulinho para “ver a decoração. 
O filho precisa passar uns dias na casa da mãe que ele não vê há muito tempo; precisa levar um presente para cada parente, nem que seja uma lembrancinha.
Enquanto as igrejas permanecem vazias, hotéis, bares, botecos e restaurantes faturam alto, homens e mulheres enchem os cornos de álcool, e como umas bestas vão dirigir seus carros ignorando totalmente a Lei Seca. E as estradas e rodovias tornam-se intransitáveis, e muitas pessoas têm suas vidas interrompidas.
E o cartão de crédito é usado sem nenhum controle.
Depois a conta vem!

                                                                                                             
                                                                 JANEIRO
Terminada as comemorações de final de ano, depois de assistir à queima de fogos que consumiu milhões enquanto a saúde agoniza, depois de fazer sua oferenda aos deuses, as pessoas voltam para suas casas e para a rotina do seu dia. Para alguns começa o tempo de férias, e é preciso viajar com as crianças, porque ninguém é de ferro. E como aumentando a procura, os preços das passagens e hospedagens também aumentam de forma abusiva, as agências de viagem fazem festa, e ao consumidor só resta uma alternativa: aceitar ou não viajar. O governo não está nem aí, as agências reguladoras dizem que é a LEI DE MERCADO.
E lá vem um parcelamento da despesa.
Mas o primeiro presente o cidadão recebe logo no começo do ano, o aumento do IPTU, e lá vai mais parcelamento. E o dinheiro arrecadado sempre retorna em bens para os políticos e funcionários públicos inescrupulosos.
As cidades continuam com seus antigos problemas: esgoto a céu aberto, falta de segurança, saúde precária, e por aí vai.
Daí uns dias vem outra bomba: IPVA, TAXA DE LICENCIAMENTO E SEGURO OBRIGATÓRIO.
E vem mais um parcelamento.
Até hoje nenhuma autoridade conseguiu explicar para onde vai tanto dinheiro, eles sabem para onde vai, mas se disserem, com certeza, irão parar na cadeia. E mais uma vez ficamos vendo o mesmo filme de antigamente, estradas em péssimas condições, saúde sucateada, e povo pagando seus pecados por terem votado em sacanas. A gente paga essa porrada de impostos para o governo. Para estacionar o carro nas ruas é preciso pagar estacionamento, e ainda dar dinheiro para o “flanelinha”. Do governo não precisa esperar nenhuma contrapartida. Eles querem é faturar para enriqueceram cada vez mais os corruptos, e quando colocamos o carro na estrada ainda temos que pagar pedágio.
Mas de todos os impostos, o mais sacana é o Seguro Obrigatório, quem paga mais de R$ 2.000,00 em seguro privado, deveria ser isento desse famigerado imposto.

                                                                   FEVEREIRO
 Este é o mês das contradições, as cidades voltam a ganhar movimento com a volta às aulas, e logo de cara vem a taxa de rematrícula, aumento das mensalidades, e a famosa lista de Material Escolar. Quase sempre os filhos não querem nem olhar para o que sobrou do ano anterior, querem começar o ano novo com tudo novo. 
E lá vem outro financiamento.
E de repente ouve-se o roncar da cuíca e tudo vira festa, é o carnaval chegando, é mais um feriado prolongado para alguns fugirem das grandes cidades, e para outros caírem na folia e correrem atrás do trio elétrico. E sem mais nem menos, pobres transformam-se em reis e rainhas mostrando seus gingados nas escolas de samba de várias cidades
Mais uma vez o dinheiro público é usado para patrocinar cinco dias de festas regadas a álcool e sexo, e quando a festa termina, o rei e rainha não tem um serviço de saúde decente para atendê-los na hora que precisarem. Mas o nosso povo é festeiro, onde tiver pão e circo tudo estará às mil maravilhas, o resto é apenas um pequeno detalhe que só vai ser percebido quando alguém morrer sem atendimento na fila de um hospital.
Nesses dias de entrega total para muitos, Deus é lembrado apenas nas orações de pedidos para que sua escola seja a campeã, depois vem a quaresma, e muitos se ajoelham nas igrejas jurando que tudo vai ser diferente.
                                                         

       
                                                       MARÇO
 Este é o mês do Leão, e podem ter certeza, ele é brasileiro e infinitamente mais feroz que o africano, sua mordida é certeira, principalmente nos pobres que não conhecem os atalhos que os sem vergonhas têm para não pagarem impostos.
Só para ilustrar: Este ano (2014), uma contribuinte, professora que se aposentou depois de passar 26 anos da sua vida dentro de uma sala de aula em uma escola estadual, é efetiva como pedagoga em uma escola municipal, como como teve dois rendimentos, o “leão” todos os anos dá uma grande mordida nos seus vencimentos.
Como essa Pedagoga, milhões de pessoas sofrem o mesmo assalto institucionalizado, assistido de camarote por ministros e políticos de todos os partidos, que com raríssimas exceções, roubam descaradamente o dinheiro do contribuinte. Não citei os impostos que pagamos em tudo que compramos, e serviços que contratamos, mostrei apenas os quatro meses mais críticos, os outros são para a gente reclamar do governo, e com tristeza vermos nos noticiários como o nosso dinheiro é roubado por muitos políticos, por funcionários públicos, e por empresários inescrupulosos.
Infelizmente esta é a realidade de milhões de brasileiros, contribuintes explorados há muito tempo por governos sacanas, mesmo quando muda a legenda do poder, as sacanagens continuam.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade