28 de ago de 2017

NÃO SEI SE É SAUDADE.

Resultado de imagem para NÃO SE SE É SAUDADE
É NO SILÊNCIO QUE MEU CORAÇÃO TE PROCURA.













Estou com saudade das palavras
Que brotavam sem cessar do meu pensamento
Estou com vontade de falar palavras de amor
Quero voltar a dizer: eu te amo

Estou com saudades
Dos arrepios nos abraços frequentes
Dos esbarrões nos corredores que nos excitavam
Da alegria de viver e da cumplicidade envolvente
Que eram comuns na vida da gente

Estou com saudade do seu cheiro
Preciso te procurar com mais ardor
Estou com saudade dos seus beijos
E do seu corço sentir o calor

Estou com saudade
Dos momentos de cumplicidade
Quando nos entregávamos com paixão
Com o amor e o carinho que nos envolviam na felicidade.

Na verdade, não sei se é saudade,
Ou se está mais para necessidade dos meus olhos em te ver
Do meu coração de te amar
E do meu pensamento que está sempre a te procurar.


2 comentários:

  1. Olá, querido amigo Geraldo!

    Já tinha saudades de ler seus poemas, que são de um lirismo brilhante e até sensual.

    Você, o poeta, nunca sabe anda, não tem certezas e tudo depende do momento. Aqueles esbarrões nos corredores podem querer dizer muito, afinal, era uma forma de tocar o corpo da mulher desejada.

    Saudade e necessidade se conjugam mto bem, portanto, "você" sente ambas as coisas, portanto, agora, é só pôr em prática.

    Beijinho para todos e para seu amado neto.

    ResponderExcluir
  2. Olá Geraldo, seja bem vindo ao meu espaço. Seus versos esbanjam lirismo e talento. Gostei dos versos com esse toque sensual e sutil, que com certeza faz vir à tona aqueles bons momentos que te deixam saudoso! Um primor de poesia!
    Abraços e tenha um bom dia.
    http://afetocolorido.blogspot.com.br

    http://pensandoempoesia.blogspot.com.br

    http://blogandocoletivamente.blogspot.com.br
    Diná

    ResponderExcluir