19 de abr de 2017

PASSAPORTE MALDITO


Vejam este texto que publiquei em 2007 no USINA DE LETRAS, tem algo de novo na podridão de brasilia?

PASSAPORTE MALDITO

Não sei mais o que dizer. 
Não sei mais o que escrever. 
Falar que a maioria dos políticos são na verdade, membros de uma facção criminosa de elite é chover no molhado. 
O senado deu novamente uma clara demonstração de como o trambique e a tramoia tecem sua rede de corrupção, e com que eficiência os longos tentáculos da falta de vergonha podem manchar o nome de um país tão grande. 
Grande geograficamente. 
Grande no caráter do povo alegre, honesto e sofredor. 
Pequeno nas atitudes de honestidade e probidade política. 
Não sei o que falar deste maldito senado. 
Ou será destes malditos senadores? 
É político demais para dividir e desviar o dinheiro que deveria ser usado para dar dignidade a quem constrói o futuro desta nação com suor e sangue. 
O que dói, é ver um partido, antes oposição ferrenha das tramoias e conchavos, agora ser conivente com tudo que está acontecendo. 
O que dói mais ainda, é saber que este mesmo partido é o grande protagonista da farsa. 
Farsa que transformou a vida de todos os brasileiros, que não podem nem de longe confiar em quem elabora e aprova tantas leis sacanas.
O que dói é ver pessoas que antes lutavam contra o feudalismo da elite, agora que conseguiram o poder, não saberem de que lado ficar. 
E por fingir não saber escolhem o caminho mais fácil. 
Do enriquecimento ilícito. 
Doloroso é ver que os clãs continuam mais fortes, por exemplo, o da família Sarney continua como praga enraizada no poder que massacra e corrompe. 
Há oito anos atrás quem imaginaria uma Roseana como líder de um governo petista? 
O que será dos jovens que agora começam a viver e que irão herdar esta porcaria? 
Que parâmetros terão para pautar sua conduta? 
O que ensinar para os nossos filhos? 
Ser honesto e taxado de idiota, ou se tornar mais um sacana com uma polpuda conta bancária? 
É por isto que uma grande maioria vende seu voto. 
Para que dar de graça o que ele tem de mais precioso, que mesmo utilizando com consciência, servirá como passaporte maldito para a corrupção? 
E ao vender o voto, entrega de brinde a sua dignidade. 

Coisa que a grande maioria dos políticos não conhecem. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário