23 de jul de 2016

ABANDONO ABSOLUTO


Resultado de imagem para funcionario publico fingindo que está trabalhando
PARA QUE VOTAR EM VEREADOR, ELES SERVEM PARA QUÊ?





Publiquei este texto em 2007 quando tive o prazer de dirigir o LAR VICENTINO DIVINO FERREIRA BRAGA.
Como podem perceber, o tempo passa, mas o poder público que deveria cuidar do povo,com seus políticos coruptos e ladrões,  continuam  roubando a verba que poderia salvar a vida de muita gente e assim, evitar que muitas famílias fiquem jogadas nas sarjetas da miséria e do esquecimento.


Sou radicalmente contra a violência e todo tipo de discriminação, mas ao longo da minha vida presenciei todo tipo de sacanagem e de desrespeito contra a dignidade das pessoas mais pobres. Esta semana foi a mais dolorosa: pude perceber nitidamente o que está causando tanto sofrimento, então pude ver de perto e presenciar com indignação a violência gratuita que está se alastrando por este país afora. Levei morador do asilo que administro para ser atendido em uma UAI - Unidade de Atendimento Imediato, cheguei com o mesmo às 9,00 da manhã, e foi a óbito as 17.30 sem que nenhum médico se desse ao trabalho de chegar perto daquele corpo quando ainda esboçava um resquício de vida. 
Hoje fui ao mesmo local com outro morador, e vi com tristeza a revolta de mães desesperadas, mais de sessenta crianças estavam esperando atendimento. Mães aflitas e pais desnorteados sem saber a quem pedir socorro. Uma delas com o filho no colo há mais de 5 horas, estava se sentindo um lixo humano, porque menino estava ardendo com uma febre de quarenta graus e mesmo assim não quiseram atendê-lo como emergência. 
Para estes anjinhos sofredores apenas um Pediatra de plantão. 
Na política isto e natural. 
Na caridade e na falta de humanidade isso é incompreensível. 
Na saúde isto é um absurdo
 O pobre só tem acesso a um espaço público na hora da dor, e mesmo assim para sentir na pele e na alma o estrago que o poder público faz na sua e na vida daqueles que ama, com a tremenda sacanagem que é a falta médicos, enfermeiros, auxiliares e técnicos. 
A “idade é pobre” e não pode contratar, alegam os políticos sacanas, que em sua grande maioria roubam o dinheiro que deveria ser usado para evitar que esta vergonha fosse rotina na vida daqueles que trabalham honestamente.
E depois querem um povo calmo e passivo. 
Já passou da hora da periferia se revoltar. 
Faltam profissionais para acolher o usuário do Sistema Único da Sacanagem na hora do sofrimento e da dor, porque é preciso empregar cabos eleitorais sem função e dar cargos para políticos fracassados, que foram candidatos apenas para ajudar eleger o sacana que iria lhe arrumar uma “boquinha”
Estes sanguessugas que “trabalharam” na campanha, e agora ficam coçando o saco dentro de uma sala que não tem sequer uma mesa e cadeira para estes “profissionais” sem função se sentarem, mas também não precisa, a maioria nunca aparece e o salário roubado cai direto na conta. A lei de responsabilidade fiscal (que como tantas são apenas de brincadeira) estabelece um limite de gasto para a folha de pagamento, mas em todos órgãos de qualquer escalão, de todos os governos, gavetas estão cheias de contracheques cujos donos sequer se dão ao trabalho de busca-los, pois, o dinheiro do “trabalho suado” cai direto na polpuda conta bancária de quem não trabalha. Em todas as cidades deste país sacana, a desculpa dos assassinos de pessoas inocentes, cujo único crime foi votar em político sacana, é que a ‘saúde é ruim em todo o país’. 
O dinheiro dos impostos e das grandes empresas estatais deste país sacana nunca deveria ser chamado de Dinheiro Público. Se assim fosse público deveria ser usado para dar dignidade ao povo, mas é prioridade de muitos ladrões de gravata que engordam suas polpudas contas bancárias, constroem império e escondem milhões em paraísos fiscais para garantir o futuro dos herdeiros da sacanagem, que com certeza também farão mestrados nas Falmacutaias, mesmo que para isso tenha que morrer milhares de pessoas na porta e dentro dos hospitais público
É assim que se formam os criminosos de amanhã.
E assim estes ladrões de gravata vão dando sua grande parcela de culpa no aumento da violência e da criminalidade. 
Deixando uma unidade de atendimento de emergência sem médico, deixando as prateleiras dos almoxarifados sem material médico e sem medicamentos, vão matando silenciosamente aqueles que um dia tiveram a infelicidade de eleger assassinos para governar as cidades, os estados e o país
O que me deixa estarrecido é saber que até mesmo o filho de uma égua que frequentava estes “infernos” antes de se eleger e que ao receber o diploma, fez o juramento de Hipócrates e jurou defender a vida como uma dádiva de Deus, depois de eleito, alia-se à corja dos que nunca precisaram usar o “desserviço” público de saúde, que nunca ouviram seus filhos chorarem de dor, sem nem mesmo um estagiário para lhe receitar uma Dipirona. E dentro dos gabinetes, com raríssimas exceções, fazem mais uma reunião para decidirem quem vai ficar com a maior parte o dinheiro da propina das licitações fraudulentas que impedem a chegada do material médico e dos medicamentos que salvariam a vida de milhares de inocentes.  
E quando a violência explode, é preciso matar aquele que conseguem sobreviver ao campo de concentração em que se transformaram os hospitais público, que deveriam cuidar da vida dos herdeiros da miséria. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário