29 de mar de 2015

VIRUS DA INDIFERENÇA.

Resultado de imagem para gripe suina e o funcionario publico
FOI UMA FARSA, E NUNCA SE VENDEU TANTO MATERIAL MÉDICO.












Como podem ver, este texto foi escrito em 2009, quando só se falava na GRIPE SUINA.

Sábado, final do inverno de 2009, os moradores do Lar Divino Ferreira Braga estão abandonados, com semblantes tristes, semelhantes aos dos bois indo para o abate. Os funcionários, ocupados nas tarefas do dia-a-dia, quase não tem tempo para conversar com os internos.
Três horas da tarde!
Nenhum visitante apareceu para trazer um jeito ou um sorriso diferente.
Para a maioria tanto faz, parece que Deus lhes fez um grande favor, ao apagar de suas memórias as lembranças do passado.
Para os poucos que raciocinam, com certeza, viver aqui é um martírio.
Ainda bem que na casa não tem nenhum daqueles relógios, que batem as horas como se os minutos fossem marteladas de quem os abandonou, ou da família, daquele criou seus filhos com amor, e agora tem que contentar-se com a caridade de estranhos, ou do poder público que pela constituição, (que não serve para nada), tem o dever de cuidar e dar vida digna para os filhos desta pátria, mãe gentil.
A sociedade...
A modernidade.
Que afastam as pessoas e as colocam horas e horas, em frente a uma máquina idiota, como esta que estou usando para escrever a angustia de quem se sente sozinho.
Na rua movimentada pessoas passam, e nem sequer olham para o prédio imponente do asilo, que abriga como uma mãe, os órfãos de tudo, que da grade da janela dos seus quartos, olham para o vazio em que está se transformando este mundo.
Estamos ao lado de uma das maiores universidades do país, e os futuros doutores correm para as mesas dos bares, e não sabem ou não querem saber, que o seu futuro, talvez um dia, seja atrás de uma destas janelas.
Os fieis das igrejas próximas, passam na porta do asilo e vão às celebrações, achando que Deus os estão esperando, esquecem que Ele os receberia com um sorriso mais bonito, se entrassem por um minuto para cumprimentar as suas imagens e semelhanças que moram aqui dentro
Eu também fico sem assunto.
Falar o quê para o morador que olha nos meus olhos, como se estivesse perguntando: O que foi que eu fiz?
Chamo um deles para me ajudar a molhar a horta.
E o tempo vai passando.
O interfone continua mudo.
Daqui a pouco termina o horário de visita.
Que horário?
Hoje ele não existiu.
À noite liguei para a gerente da casa, e ela me disse que durante a semana as visitas também estão escassas, e que um grupo de pessoas cancelou a visita, com receio de levar a gripe de mentira para dentro do Lar.
A Gripe Suína.
Que na minha opinião é apenas um vírus da ignorância e da ganância.
Pessoas com frescuras absurdas estão se protegendo usando máscaras, e lavando as mãos com álcool, como se isso fosse remédio, que é um procedimento bom para a saúde, todos estão carecas de saber, mas porque só agora?
No inicio das aulas os alunos ficaram em casa por prevenção, enquanto isto, nos estádios de futebol, milhares de pessoas se espremiam, sem máscaras e sem álcool, para ver o seu time jogar.
E shoppings e bares estão lotados.
Aonde dá lucro não precisa de proteção contra o virus.
Dizem que as grávidas estão mais propensas a serem contaminadas, e todas que são funcionarias publicas estão tendo o privilegio de irem para casa, sem ter o dia cortado no salário.
Porque todas a grávidas que trabalham na iniciativa privada não tem o mesmo direito?
Quem se atrever a ler este texto deve estar me achando maluco.
Este cara começa escrevendo sobre o abandono dos asilos e depois passa a falar de gripe!
Este assunto entrou, porque é a bola da vez, e todos que podem estão tirando proveito econômico e político desta mentira que chamam de pandemia.
O vírus que causa morte pelas drogas deveria ser uma pandemia.
O vírus que causa morte por pneumonia devia ser uma pandemia.
O vírus que causa morte por falta de assistência médica devia ser uma pandemia.
O vírus que causa morte pela violência devia ser uma pandemia.
Estes e outros tantos vírus espalhados pelo mundo afora, são transmitidos com muito mais facilidade que o da maldita gripe suína, que sempre existiu e que somente agora ganhou um nome.
E o causador de todos eles é o Vírus da Indiferença.






2 comentários:

  1. Geraldo,

    Fico sem palavras, quando leio textos seus que abordam problemas socias. Como é MAU, o HOMEM, como é MÁ, a HUMANIDADE!
    Esse vírus existe, infelizmente, em todos os países, mas Ele, um dia vai separar trigo do joio. Eu sei que até lá muita injustiça e indiferença se vai cometendo e praticando, mas Ele não dorme.

    Bom domingo!

    Abraços.

    PS: Novo poema no meu blog, aliás, já tem uma semana, mais ou menos. Gostaria que me visitasse. Tá? Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Olha, deixa eu falar: a imagem está "de gritos" e exprime, infelizmente, a realidade brasileira e não só.

    Abraço, paz e bem!

    ResponderExcluir