25 de nov de 2014

COISA DO PASSADO?

ATÉ QUANDO ISSO É BRINCADEIRA?


No exato momento que comecei a escrever meus olhos deixaram brotar algumas lágrimas.
Ah! Como eu gostaria de não ter temas como esses para serem abordados.
Mas “assim caminha a humanidade”!
O ser humano está se transformando em Robô como muitas vezes nos foi mostrado nos cinemas nos filmes de ficção.
Infelizmente agora a vida imita a arte.
O engraçado é que ao começar a escrever fiz uma pausa e como de costume sai para dar uma olhada na rua através da grade, (não gosto de muros como os de uma prisão). Uma moça sentada calçada chorava copiosamente falando ao telefone, educadamente perguntei se precisava de ajuda, bastaria uma resposta simples, sim ou não, mas apressadamente ela se levantou e disse que iria se sentar na calçada do outro lado da rua.
Entrei e o mundo lá fora continuou com sua rotina e cada dia que passa fico cada vez mais apavorado.
Todos os meses, ministro uma palestra para as pessoas que vão batizar os filhos, percebi que atualmente os padrinhos tem o sobrenome da família, conversando com os participantes tento mostrar que esse é um momento propício para trazer um amigo para mais perto.
A resposta quase sempre é a mesma: Confiar em quem?
É muito fácil concluir que as amizades de verdade estão se tornando comportamento de um passado distante. Cada família está se fechando em seu mundo solitário dentro da cidade onde mora, protegidos por um “muro de prisão”, e os filhos sendo aprisionados em uma rede de comunicação necessária e perversa ao mesmo tempo.
E a grande tristeza que nos envolve: Parentes também são cem por cento confiáveis?
Parece que não!
Constantemente vemos e ouvimos nos noticiários, pessoas sendo assassinadas por motivos banais.
Olhando para os meus filhos com um olhar de ternura e de melancolia fico a me perguntar... Como será o futuro dessa geração que estamos deixando abandonada à mercê da criminalidade, escravizadas por políticos corruptos, sendo “orientadas” por pregadores que só pensam em acumular riquezas e por professores mal remunerados que não conseguem atualizar seus conhecimentos?
Agora vejo crianças escravizadas pela tecnologia, agredindo seus pequenos ouvidos com fones de todas as cores, escondendo o brilho inocente de um olhar que deveria estar começando a descobrir um mundo de fantasias que agora não é mais o seu mundo.
Ainda não consegui assimilar os novos tempos, quem tiver uma resposta plausível responda-me por favor. É normal uma criança pintar os cabelos e os pais moderninhos acharem que isso é insignificante e que ninguém tem nada com a sua vida? É normal que crianças com doze anos ou menos ficarem namorando pelas ruas ou dentro de casa, e os país modernos acharem isso "uma gracinha"?
É normal os pais deixarem os filhos e filhas usarem seus quartos como se estivessem em um motel, achando que estão seguros por saberem onde eles?
Será que não é por isso que crianças que deveriam estar carregando uma boneca de brinquedo, agora estão carregando no ventre e nas ruas suas bonecas de carne e osso, fruto da irresponsabilidade?
Esta geração de pais com seus 25 a 40 anos estão preparados para educar os filhos nos valores básicos que se pede de um ser humano, ou isso também já é coisa do passado?
Acabei de ver uma reportagem (22/10/2014), de um fato ocorrido no Rio Grande do Sul, onde o casal entretém os funcionários de uma loja para que seus filhos possam roubar diversos produtos.
Quantos pais como esses estão espalhados por este Brasil afora?
E aqueles que não roubam diretamente, mas fingem não saber de nada quando um filho chega em casa com um tênis, um celular, ou qualquer outro objeto que normalmente ele não teria condição financeira para comprar?
Voltemos ao ano de 1914...
"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto". (Rui Barbosa - 1914)


Nenhum comentário:

Postar um comentário