19 de fev de 2014

DIA ESPECIAL

PRECISAMOS LUTAR PARA QUE ISSO ACONTEÇA.

                                             


Hoje, ao acordar, quero desligar-me do mundo, não vou ligar o rádio e nem o televisor, também não quero ler o jornal, não quero ver e nem ouvir nada que vá aumentar o estresse, que todos os dias me faz sentir, ser parte e coadjuvante do lixo humano.
Quero andar pelas ruas, olhando no semblante das pessoas para ver se deslumbro algo de belo num sorriso, ou mesmo em um trejeito um pouco mais carrancudo.
Quando passar em frente a um prédio de algum órgão público, quero voltar meu olhar para o outro lado, para não deixar meu pensamento se lembrar de nada que vá estragar meu dia.
Da mesma maneira, quando na caminhada do dia a dia, tiver que cruzar com um funcionário público ou com um político, destes que a gente já “conhece”, fingirei que não os vi, para que nenhuma lembrança ruim possa atormentar meus pensamentos.
Quero olhar no rosto do homem e da mulher trabalhadora, que lutam todos os dias, e tudo aquilo que conseguem é com trabalho honesto e com muita luta. Quero emocionar-me com os trejeitos da criança inocente, que ainda não está na idade de compreender, que o seu futuro vai depender do comportamento de milhares de pessoas, que este ano irão às urnas para mais uma vez exercer o seu “direito” de cidadania.
Quero olhar no rosto dos jovens, com um sentimento de esperança de que não vão se deixarem enganar, e não trocarão seu voto por um emprego provisório, ou pelo patrocínio de uma festa de formatura.
Quero olhar no fundo do olho das pessoas adultas que são os responsáveis pela educação desta nova geração, que não pode ser refém dos “Rolezinhos” que os levam para o caminho da violência, da falta de valores, de respeito próprio, e da consciência que o seu direito começa quando termina o do outro.
Quero conversar com pessoas, que mesmo acometidas de alguma doença grave, lutam com bravura como se este fosse o seu último dia de batalha.
Não quero ao meu redor pessoas que só pensam em tristezas, sei que este país nos dá inúmeros motivos para não sorrir, mas hoje não quero pensar em nada que vá embrutecer o meu semblante e meu pensamento.
Quero ouvir a voz do pregador que realmente traz o sagrado para dentro dos corações das pessoas que estão aflitas; gostaria que todos repudiassem os falsos profetas, que primeiro invocam o Demônio para fazer o crente sentir-se possuído, depois finge expulsá-lo em nome de um Deus de mentira, tudo para conseguir arrecadar cada vez mais.
O Deus da maioria das “igrejas profissionais” é o poder e o dinheiro.
Hoje, quero olhar para o céu, ficar observando nuvens passeando de um lado para outro, e logo abaixo delas, encantar-me com voo dos pássaros que abrem suas asas e plainam no infinito como se o mundo ainda fosse o mesmo paraíso criado por Deus.
Quero sentar-me debaixo de umas das poucas arvores que ainda resistem, ouvir o canto dos pássaros misturando-se harmoniosamente com as folhas e as flores, em uma sintonia e sinfonia perfeitas.
Não quero pensar em pressão alta, colesterol, diabetes, simplesmente quero esquecer tudo que insiste em me fazer olhar para aquilo que não devo, ou para aquilo que não quero.
Neste dia, quero simplesmente estar de alma lavada, em sintonia com Deus e com todos os homens e mulheres de boa vontade.
Quero que uma cegueira momentânea esconda tudo que não preciso ver.
Quero que meus ouvidos fiquem surdos, para que não escute nada que machuca qualquer pessoa, a natureza ou os animais, para que eu não precise sofrer junto com elas com a criação de Deus que chora de agonia.
Hoje eu quero viver um dia especial.
De paz...
De entrega total às forças do universo.
Para poder compartilhar com todos aqueles que tiverem o mesmo desejo.

Se todos os dias pudessem ser assim, nós viveríamos no paraíso.
         

Um comentário:

  1. OLá Geraldo!
    Depois de um tempinho ausente, aqui estou.
    Parabéns pela bonita postagem!
    Desligar da realidade pelo menos um dia e viver no paraíso.
    Um abraço!

    ResponderExcluir