21 novembro, 2013

ARQUIVO DA MEMÓRIA

SOLTE-SE DAS AMARRAS DO PASSADO



ARQUIVO DA MEMÓRIA   

 

Quero deixar um alerta para os mais jovens.  Cuidado na hora de formatar o jeito de viverem suas vidas e de encarar os desafios que ela certamente irá lhes impor.
Quando vocês eram crianças tudo era permitido. Enquanto vocês forem jovens irão aprender que viver não é só esperar o tempo passar.
Para muitos a preocupação com o futuro é focada apenas na próxima badalação, e a vida só tem sentido se for feita apenas de curtição. Poucas são as pessoas que se preocupam com seu lado humano e emocional, e assim vão levando a vida e deixando a vida lhes levarem. 
É claro que os jovens precisam aproveitar cada minuto de suas vidas para alcançar a tão sonhada felicidade.
Todos merecem e nasceram para serem felizes. Mas para que a vida seja bem vivida, vivam em harmonia  com todos que lhe rodeiam e deixem os outros também viverem.
Não é possível que sempre tenhamos que ouvir notícias de jovens sendo assassinados na porta de uma boate, ou mortos por dirigirem em alta velocidade, muitas vezes embriagados, ou por culpa de alguém nas mesmas condições. 
Felicidade não é ultrapassar os limites, pelo contrário, é conhecer os limites que podem ser ultrapassados. 
Não quero criticar ou impor nenhuma avaliação de valor, mas pense bem antes de marcar seu corpo com tatuagens que nada significam na sua vida. Não se deixem levar pelo modismo maculando seus corpos para agradar um “amigo” ou para imitar alguém famoso. Não machuque seu corpo com diversos adereços que depois de certa idade serão verdadeiras aberrações que deixará você marcado para sempre, e algumas vezes, essas cicatrizes doerão no fundo da sua alma.  Elas também envelhecem, e quando você olhar para o passado e ver seu corpo enrugado, olhar para a imagem ou para o nome tatuado e eles não lhe disserem mais nada, com certeza em algum momento lágrimas rolarão na sua face.
Vocês serão os pais e avós da futura geração. 
Eu fiz escolhas erradas. Estudei muito pouco, não frequentei uma faculdade. Cometi erros cujas imagens me perseguem até hoje. Meu cérebro mostra tudo que fiz de bom e de ruim, e com certeza as coisas boas ficam sempre em segundo plano nos pensamentos. As escolhas erradas que fiz ao longo da vida me são mostradas todos os dias e preciso ter paciência e força para exorcizá-las. E vocês não imaginam o quando isso é difícil. 
Preciso brigar todos os dias com meu subconsciente  e lhe mostrar imagens das coisas boas que realizei trazendo-as para o foco central da minha existência.
Nesse momento uma música suave entra nos meus ouvidos, mesmo assim minha cabeça está a mil tentando me mostrar o lado negativo que havia esquecido há muito tempo. Então rezo todas as orações que não rezei ao longo de todos os anos, tento trazer para dentro do meu coração o Deus que ignorei todas as vezes, que mesmo inconsciente machuquei outras pessoas achando que era coisa natural. Eu era jovem e o futuro era apenas o dia seguinte. Hoje, com setenta e um anos posso dizer sem medo de errar que sou feliz.
Não me deixei dominar pela tristeza que leva à apatia.
O cérebro é ao mesmo tempo, advogado de defesa, promotor de justiça, juiz e carrasco. Somente a humildade, o amor e a fé naquilo que há de mais sagrado pode nos defender e aplainar o restante do caminho a ser percorrido.  Para que a velhice seja tranquila e facilmente assimilada, é preciso que no arquivo da memória não tenhamos muitas coisas para nos arrependermos. Precisamos não nos deixar aprisionar na cela interior que existe dentro de cada ser humano colocando para fora tudo aquilo de bom que fizemos, e, se possível, voltar a fazer de tudo para ajudar aqueles que estão necessitando de um ombro amigo para se aconchegar. 
Não deixe seu pensamento se transformar na sua masmorra. 
Seja livre, hoje, amanhã e sempre.        

Um comentário:

  1. OI GERALDO!
    LENDO TEU TEXTO, NO QUAL FALAS EM, TALVEZ, CONOTAR UM CASO DEPRESSIVO, ACHO QUE NÃO. POIS O QUE CITAS, ACONTECE COM QUASE TODOS QUE TEM UMA VIDA ATIVA (TRABALHANDO) E DE REPENTE OPTAM PELA APOSENTADORIA.
    QUANTO AS CULPAS, POR MENOS QUE AS TENHAMOS, ELAS VEM A TONA MESMO E COMO BEM DIZES, MAIS FORTE QUE O BEM QUE PRATICAMOS, ACHO QUE O ESSENCIAL É MANTERMOS A CABEÇA OCUPADA E PENSARMOS QUE ERRAMOS SIM, MAS, SOMOS APENAS "SERES HUMANOS", E PARA MIM, ESTA CONSCIENTIZAÇÃO, É UMA FORMA DE ARREPENDIMENTO, ENTÃO, APRENDEMOS ALGO, E ISTO SEMPRE VALE.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade