3 de jul de 2013

SEMENTES PODRES

Escrevi este texto no dia 24-06-2006 e como podem perceber, continua atualíssimo, quero ver uma manifestação de verdade no ano que vem quando todos anularem os seus votos.Meu sonho é ver uma eleição de votos nulos e brancos


                                                           
Ao receber o jornal na manhã de sábado da aleluia, ainda com as palavras e as imagens da crucifixão e morte de Jesus atormentando minha mente vazia de fé, dando-me um puxão de orelha para uma profunda mudança de atitude.
Não pude conter a vontade de escrever.
Estampado no alto da primeira página do jornal, duas reportagens chamaram a minha atenção e aguçaram o meu lado crítico; de um lado a cena da crucificação mostrando Jesus pregado na cruz, tendo ao seu lado os dois ladrões.
Ao lado da estampa uma manchete com letras garrafais dizia: Vaga para deputado federal vai custar R$ 1.000.000,00 a cada candidato que conseguir se eleger na próxima eleição.
Debaixo da estampa estava escrito: “Paixão e fé marcaram a Sexta Feira Santa no mundo inteiro”.
No mundo inteiro pessoas de todos os credos, e até os incrédulos, pararam para refletir a morte do filho de Deus. Crucificado pela ignorância dos homens, principalmente dos que deixam de ouvir a voz do coração e da razão, para ouvir o apelo de homens de igrejas de todos os credos, que se aliam a qualquer um e a qualquer coisa para conseguirem poder e riqueza.
No paralelo das manchetes, uma calculadora mostrou que para ser eleito deputado federal cada candidato eleito vai gastar o equivalente a R$ 20.633,00 por mês para quatro anos de mandato.
Qual é o salário de um deputado federal?
Quanto ganha realmente, se o salário é irrelevante, na hora de receber?
Mais uma vez a calculadora mostrou que para se eleger deputado estadual no meu estado, o candidato vai precisar desembolsar o equivalente a R$ 12.500,00 por mês para quatro anos de mandato.
Qual é o salário de um deputado estadual?
Quanto ganha realmente, se o salário é irrelevante na hora de receber?
O que faz uma pessoa gastar em quatro meses, o que teoricamente vai receber durante quatro anos?
De onde vem o dinheiro da campanha?
Qual interesse existe por traz de um mandato?
Será que alguém, em pleno juízo quer se eleger para ficar devendo, ou se arriscar ir à falência sem certeza de retorno?
Será que a justiça não enxerga um crime, ou um motivo para um, com esses números tão evidentes?
O que vem por traz do salário?
O país inteiro sabe:
Corrupção.
Caixa dois.
E outras tantas falmacutaias.
Enquanto os pobres, donos dos títulos que elegem sacanas, não tiverem consciência que é preciso parar de votar em candidato rico e da elite, os problemas desse país não têm conserto.
Enquanto o eleitor não entender que eleger grandes empresários, comerciantes e fazendeiros, as leis serão criadas somente para defender seus interesses, e aumentar seu poder e seu lucro, os problemas desse país não tem solução.
Enquanto os humildes não pararem de eleger homens de igrejas que distorcem todos os ensinamentos da Bíblia, monopolizando a fé, construindo impérios que deixam a velha Roma no chinelo, o país continuará sendo de terceiro mundo.
Na estampa do jornal, um Cristo crucificado, e ao seu lado os dois ladrões.
Na reportagem do lado, muitos ladrões e um povo crucificado.
Quem crucificou Cristo?
Uns dizem que foi Pilatos.
Outros dizem que foram os religiosos doutores da lei.
E todos sabem que foi o povo.
Que não soube dizer não aos lideres religiosos, que naquela época já usavam o nome de Deus para manipular os pobres e transformá-los em ovelhas de falsos pastores, como acontece hoje, com muita frequência,
Que não soube dizer não e lutar contra a forma de governo que até hoje continua crucificando os pobres em todos os cantos da terra.
Ao povo foi dado o direito de escolha:
Barrabás, o ladrão.
Cristo, a vida.
O povo foi induzido a preferir a morte.
Barrabás foi o pretexto da elite dominante que já conhecia a fraqueza do seu povo, como acontece até hoje, quando milhares de Barrabás voltam a ser oferecidos ao povo, em forma de cesta básica, padrão de luz, telha de amianto e ônibus para enterro de pobre. E por aí a fora.
Termina a Sexta Feira da Paixão, começa o sábado da ressurreição.
E o povo precisa mais uma vez fazer nova opção.
Um Cristo vivo e presente, ou morto e enterrado?
Lutar pelos direitos e a favor da vida dos pequenos, ou se vender como um Judas a troco de míseras trinta moedas?
Triste coincidência, corre à boca pequena que a maioria dos vereadores eleitos pagaram justamente R$ 30,00 por voto colocado na urna.
O povo precisa escolher!
E nessa hora a figura de Pilatos volta com força total!
Milhares de pessoas ignoram a pobreza e o sofrimento do povo, lavando as mãos, ao percorrerem a periferia para comprar votos e consciências, para um candidato sacana.
Sábado da ressurreição!
Momento forte para acreditar que a luz pode vencer as trevas.
Baseado nestas duas reportagens de primeira página, quero pedir a todos que na próxima eleição procurem separar o joio do trigo, mesmo nesse momento difícil onde eles se entranharam como praga na vida de todos nós.
O joio foi plantado neste país desde a sua descoberta, e todo esse tempo sufocou o trigo que deu apenas uma safra, e dessa safra algumas sementes também caíram sobre o lodo da corrupção e apodreceram.
Precisamos jogar fora de vez essas sementes podres que não deram fruto, e replantar o restante do trigo que precisa frutificar para dar vida ao povo, e esperança aos que perderam o motivo para acreditar.
Em mudança.
Em dias melhores.
Mas que querem acreditar, e precisam ver de novo a ressurreição de um país rico, cuja riqueza é motivo de sofrimento para a maiori

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade