5 de mar de 2013

SEMEANDO DESTRUIÇÃO

O QUE É RECICLAR?

Hoje, enquanto esperava um ônibus e como em todas as cidades, a demora é um teste de paciência, principalmente aqui onde somente uma empresa explora e transporta como e do jeito que quiser uma população de quase 400.000 habitantes, que até hoje não sabe o que é lutar pelos seus direitos.
Haja visto, os políticos que são eleitos por aqui.
Mas não quero ficar falando desta raça que serve apenas para nos explorar, vou falar novamente de um problema que a maioria finge não ver.
VAI FALTAR ÁGUA PARA OS NOSSOS FILHOS E NETOS.
Debruçado na proteção do córrego que margeia a avenida, fiquei observando a água que corria mansa e lembrei-me do texto que escrevi: A TEIMOSIA DA ÁGUA.
Lá estava ela correndo sobre o cimento, carregando todo tipo de sujeira e a ignorância de todos nós que não preocupamos com o futuro do planeta. Seu leito que deveria ser um lugar sagrado, profanado pelo concreto impede que ela se aconchegue no colo da mãe terra.
Infelizmente todos os leitos de todos os rios, córregos, lagoas e riachos, não passam de sepulturas que recebe do lixo humano, os detritos da falta de educação ecológica.
Este córrego que estou observando com tristeza, desemboca no ex-rio da minha cidade.
A expressão “ex-rio” significa realmente o divorcio litigioso do ser humano com a natureza, ele não quis repartir a herança recebida de graça e a destrói pela ganância. Rouba tudo que a natureza produz e como um ex-companheiro rancoroso, mata os animais, derruba as arvores matando as matas e destrói os mananciais, e mesmo vendo os peixes morrendo, este idiota que de humano nada tem, continua semeando destruição e morte para deixar um inferno como herança para sua próxima geração.

Eu queria que o mundo acabasse depressa, mesmo sabendo que as pessoas que mais amo terão vivido pouco tempo.  Ainda bem que não tenho domínio sobre o tempo de viver e de morrer.
Todos da minha geração sabem que nossos filhos sofrerão muito por culpa da ganância dos ricos e da ignorância dos pobres.
De vez em quando tenho uns lampejos de esperança e acho que talvez ainda dê tempo de salvar o que parece estar perdido.
Para isto é preciso que todos repensem suas atitudes e com simplicidade fizessem o básico:
    1)    Lixo não se joga na rua ou em lotes vagos.
    2)    Mangueira não é cabo e água não é vassoura.
    3)    Todo morador deve cuidar da limpeza na frente da sua casa.
    4)    Rios e lagoas não foram criados para receber o lixo de quem não queremos reciclar.
Sou um sonhador, recentemente escrevi o texto MEU BAIRRO PARECE UM LIXÃO.
A natureza é sábia e se recupera facilmente, o grande problema do nosso país é a desgraça da política que em sua maioria, com raríssimas exceções é formada por bandidos que só pensam no lucro.
O nosso povo precisa deixar de ser conivente com estas verdadeiras quadrilhas e quem sabe um dia teremos uma eleição de URNAS ZERADAS.
Esta é a minha utopia.
Ontem o Papa Bento XVI disse que às vezes pensa que Deus está dormindo, e eu cheguei á conclusão que realmente estava quando nos deu o livre arbítrio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário