18 de set de 2012

JANELA DA ALMA

PRECISAMOS NOS ENXERGAR CADA VÊZ MAIS.

A saudade trancou-se em casa e ficou sem saber o que estava acontecendo no resto do mundo, em consequência disso as pessoas afastaram-se uma das outras e ela perdeu seu sentido.
A mansidão ficou sabendo e veio correndo bater à sua porta e disse-lhe: Quero ficar aqui, ninguém mais quer saber de viver comigo.
Logo depois chegou a paciência querendo ficar, e derramando-se em prantos e disse: Todos já me perderam.
A ternura chegou dizendo que os casais já não se olham como antes, e que os pais já não abraçam seus filhos como antigamente.
Logo após chegou a paixão dizendo estar cansada de ser confundida somente com sexo.
E o sexo foi chegando com aquele ar de quem é soberano, mas em prantos disse: Nenhuma relação baseada somente em mim si sustenta, felizes são os animais que me praticam sem dizer que estão fazendo amor.
A mansidão veio tentar minimizar o problema, dizendo que todos deveriam esquecer tudo, e deixar a vida continuar seu curso natural.
Então chegou o amor, tentou reunir a todos, mas foi em vão, em um só coro todos disseram: Não sabemos como consegue viver nestes tempos esquisitos, você deveria ser eterno, “até que a morte os separe”, e ultimamente está durando tão pouco que as pessoas já não sabem o que é amar.
Ouvindo isto ele também pediu para ficar.
A amizade veio com ares de quem manda no pedaço, e disse, quando sou de verdade duro a vida inteira, mas olhando para os outros, percebeu que nenhum deles eram seus amigos, então com os olhos lacrimejando balbuciou: eu também estou morrendo.
E os dias foram passando...
Os meses...
Os anos...
O mundo foi ficando cinzento e a vida sem sentido.
Foi aí que a caridade, mãe de todas as virtudes entrou em cena, bateu na porta, e quando ela se abriu, entrou e foi abrindo as outras e também as janelas, e mansamente falou: Se não deixarmos a luz do sol e o brilho das estrelas nos aquecer e nos encantar, se cada um deixar o egoísmo e preguiça dominarem o seu ser, e esconderem-se dos problemas e deixarem de lutar, aí sim, a vida perderá o sentido, e a morte reinará soberanamente sobre todos os seres vivos.
Então fico olhando a geração Fone de Ouvido e a geração Celular, tenho pena dos jovens que são escravos, da tecnologia que deveria ser usada para o bem comum, e não para escravizar pessoas. 
Tenho pena dos adultos que, agora estão presos em casa de frente para uma máquina, buscando relacionamentos virtuais, que não sabem mais o que é olhar no olho, de quem um dia poderá ser seu companheiro para dividir a vida.

Precisamos abrir as portas e janelas da nossa alma e do nosso coração, para deixar a vida aflorar em toda a sua plenitude.

6 comentários:

  1. Olá Geraldo! Passando para apreciar este teu belo, profundo e verdadeiro texto, com ênfase para o trexo abaixo:

    "Tenho pena dos adultos que agora estão presos em casa de frente para uma máquina idiota, buscando relacionamentos e não sabem mais o que é olhar no olho de quem um dia poderá ser seu companheiro para dividir a vida."

    Concordo plenamente. Inclusive, tenho pena de mim mesmo.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  2. Uma bela cronica-prosa amigo.Gostei das reflexões que aqui de encerram.É preciso buscar o equilibrio para que a escravidão não seja efetiva.
    Um boa semana e meu abraço mineiro.

    ResponderExcluir
  3. Oi meu amigo!
    Linda reflexão,
    adorei,tbm tenho pena de mim,
    infelizmente cada dia mais nos
    tornamos escravos da tecnologia.
    Uma realidades...:(

    bjos

    bjos

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito, retrata bem o nosso cotidiano, onde "as forças ocultas" vão nos dragando as boas enegias, privando-nos do acesso a verdade e buscando a nossa alienação. Mais do que nunca precisamos estar atentos à realidade, pois ate uma tal realidade aumentada ou realidade virtual estão tentando nos "empurrar guela abaixo" . Indepemdentemente do credo e da religião, as profeticas frases contidas nas escrituras são tão atuais e imperativas para uma VIDA, "Orai e vigiai" e "A verdade vos libertará" . Quem não estiver verdadeiramente acordado e sobrio, fatalmente será e fará vitimas e refens da ilusão e da fantasia que vem nos assolando.

    Fraternal abraço a quem tem uma visão clara e poetica do que a vida e o criador nos reservou de bom.

    Marcelo - ssvpmarcelo@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. Meu querido amigo!

    passando pra te
    desejar uma linda tarde, é muito
    gratificante fazer
    parte da sua lista de amigos.

    Fico super feliz com sua visita
    e comentários no meu blog.

    bjo

    ResponderExcluir
  6. Olá estimado Geraldo,

    Sei que está atarefadíssimo com as eleições, mas passei pra dizer que há novo poema, no "Afetos" e que quero lhe desejar uma boa semana. Está na reta final.

    Estive lendo o seu texto, onde faz um inteligente jogo e apreciação dos sentimentos.
    Em 99% dos casos, assim é, infelizmente, mas há, ainda, ou "loucos", que se desprendem das novas tecnologias e escrevem uma carta de amor, por exemplo.

    Boa semana.
    Beijos da Luz.

    ResponderExcluir