18 de jul de 2012

LIMITES DA IGNORÃNCIA.


REMANDO CONTRA A IGNORÂNCIA

Hoje o céu chorou em forma de tempestade              
depois de mais um dia de intenso  calor
parecia que natureza nos dizia
que seu pranto era de dor

Pela arvore arrancada
com saudade do rio que corria caudaloso
raios escreviam no firmamento
o quanto isto é triste e doloroso

Mais uma vez a fúria das águas
arrastou carro e pessoas em plena rua
e o homem continua produzindo e exalhando lixo
não acreditando que tudo é culpa sua

Terra sendo rasgada, arvores arrancadas
rios sendo desviados, matas virando pastos
tudo em nome do progresso e da ganância
e o idiota do homem não percebe
que a natureza quer vingança

E nós...
estamos cometendo suicídio

Morrendo aos poucos
Até o dia que o eco-sistema não mais agüentar 

então terra se partirá com uma grande explosão
jogando pedaços de gente pelo ar

Então o espaço sideral que todos chama de céu
com toda seu encantamento e mistério
da raça que ultrapassou os limites da ignorância.
vai se transformar em um grande cemitério

2 comentários:

  1. Oi estimado Geraldo,

    Por vezes penso que quando há cataclismos naturais, é Deus que nos quer mostrar o quanto somos maus para o mundo, em geral.

    FELIZ DIA DO AMIGO.

    Aproveito para o informar que criei, ontem, de madrugada meu 2º blog: LUZES E LUARES. Gostaria de sua visita lá. OBRIGADA.

    Bom final de semana.
    Abraços da Luz.

    ResponderExcluir
  2. Geraldo,
    A natureza pede socorro todos os dias.O homem
    ficou cego pela ganancia.
    Abraços e ótima semana!

    ResponderExcluir