2 de nov de 2011

ENTREGA


Dá-me pedaços da tua alma quente,
Misturados em doces versos, sem nexo,
Ébrios, livres, voluptuosos, submersos,
No gosto livre e enfeitiçado do teu amor.

Dá-me versos já guardados, já esquecidos,
Que penetrem nos meus sensíveis ouvidos,
Desidratados pelo desejo e pelo tempo,
Da tua ausência, do meu sentir, da minha dor.

Dá-me o alfabeto inteiro, todo, verdadeiro,
Oferece-me, empresta-me o teu sabor,
Me ensina bem, calmamente, por favor,
Te quero, te quero por perto, sim senhor.

O meu peito com sede, como deserto,
Fenece, moribundo, triste, por certo,
Como, no Outono, a mais viçosa flor.
Vou embeber-me de ti, sem demora,
Não, depois não, te quero agora,
Que meu coração não entende hora.

Temerosa, inconsolável, de chegar o fim,
Te fico olhando, terna, apaixonada, assim,
Enviando cada letra, cada sílaba, cada palavra,
Reflectida, sentida, perdida ou impensada,
Me aliviando, sendo desejada e amada,
Até te ter, por fim, junto e dentro de mim.

Este belo poema foi escrito por: SAFIRA

5 comentários:

  1. Parabens a Safira pela beleza do poema da Entrega com uma poetica interessante.
    Um abraço amigo.

    ResponderExcluir
  2. Olá estimado Geraldo,

    Tem amigos(as) de muito talento.
    Parabéns!
    Safira, sua amiga, escreve com o coração e não com o teclado, somente.
    Gostei muito da "ENTREGA".
    Poema com boa métrica, rico em adjectivos, o que enaltece o sentimento descrito.
    Pedir pedaços da alma quente, é algo, muito belo e terno.
    Que apareçam mais amigos a escreverem desse jeito.

    Parabéns a você e sua amiga.
    Abraços de luz.

    PS: Não podeia deixar de referir a beleza e a doçura da imagem, que encima o poema.
    Boa escolha. Me parece, que tudo se passa ao pôr do sol. Os amantes, o saberão melhor,que nós.

    ResponderExcluir
  3. Estou sem palavras... Cada dia que passo por aqui encontro um outro universo de palavras que me deixa cada vez mais fascinado por este outro lado da escrita que ainda não cheguei, mas que pretendo! O lado sútil e elegante, o lado apaixonante e apaixonado, o lado sublime onde o texto transmite a quem ler exatamente o que era para ser mostrado. O texto falando por ele mesmo toda a sua "essência" toda a sua magnificência ao mesmo tempo da simplicidade e da seriedade destas palavras. Incrível esta união: é harmoniosa e ao ler, ao ouvir o que estou lendo canto a poesia da poesia a mim entrelaçada!

    * Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Geraldo,

    Não deveria comentar comentários de outrem, mas o Wesley foi um perfeito analista, em relação ao poema de sua amiga Safira.
    Ele pegou, subtilmente, o poema e o desventrou de forma muito doce e apaixonada.
    PARABÉNS!
    Desculpe Wesley de eu "ter metido a foice em seara alheia", mas não consegui resistir.
    Excelente dia!

    Abraços de luz.

    ResponderExcluir
  5. Olá Geraldo,
    Belo poema de sua amiga Safira.
    Uma entrega total num amor sem igual, deve deixar muitas saudades quando, talvez, feneça.
    Lindo! Adorei, amigo.
    Uma bela semana para você!
    Beijos,
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir