15 de jul de 2011

MEU CORPO EM SEU CORPO


Quando nossa relação fica estremecida
O chão onde eu piso parece afundar
O medo de te perder
Muitas vezes até me faz chorar

De tristeza por não ter tido coragem
De dizer o que pensava
E calado fico a pensar
Que eu era o único a errar

Não trocamos mais caricias
Nem nossos olhares se encontram
Minha mão já não procura a sua
E as palavras muitas vezes magoam

Coisas bobas, corriqueiras da vida real
Estão separando nossos caminhos
A saudade do seu abraço
Faz-me sentir cada vez mais sozinho

Sem um querer ser a voz do outro
Precisamos conversar
Para os nossos olhos voltarem a se mirar
E nossas mãos voltar a se encontrar

E num abraço de aceitação
Nos deixar levar pela ternura
Para que tolices do dia-a-dia
Não maltrate o coração.

Preciso de você
Somos um só corpo, alma e coração
Você precisa de mim
antes que os atropelos de todos os dias
Consigam por um fim nesta nossa relação.

De cumplicidade e ternura
Entrega sem limite na paixão
que emociona e encanta minha alma
que faz meu corpo em seu corpo vibrar de emoção

2 comentários:

  1. Boa noite Geraldo,

    Agradável e melódica poesia.
    Afinal, é tão bom dialogar e depois se dar.
    Parabéns meu querido amigo.
    Gosto do seu ar sereno.

    Abraços de luz.

    ResponderExcluir
  2. A leveza de seus sentimentos e a clareza como os expõe, simplesmente me fascinam...
    Como fico feliz de saber que ainda existem pessoas com alma
    bjs Helena

    ResponderExcluir