5 de mar de 2011

VOLTE OU VÁ

CAMINHAR PARA ONDE?


Caminheiro que vem
não sabe de onde
e nem para onde vai                                                
quase sempre nada carrega
muitas vezes leva sua vida nas costas.

Caminheiro dono do mundo
dono de nada
com o passo firme ou vacilante
é somente mais um na estrada

Da vida que dá voltas
e leva todos para o mesmo lugar
deixando saudades
em quem foi corajoso ao partir
ou medroso ao escolher ficar

Caminheiro que passa despercebido
ou fazendo algazarra
mesmo livre ou sofrendo
faz da sua vida uma farra

De bebedeiras e de porres
da abstinência que maltrata
um corpo já cansado
de dar voltas para nada

Caminheiro, é hora de parar
tirar das costas o sofrimento das ignorâncias
que te fizeram no mundo um errante
e da vida um retirante.
Volte...
Ou vá...

3 comentários:

  1. Muito bom amigo este canto ao errante estradante,que faz a economia girar.Uma homenagem a este forasteiro que pércorrem o país com a produção,errando mas sempre pensando um dia parar, para descansar e só historias contar,mas as vezes muitos se perdem nos sonhos de nossas mal traçadas rodovias assassinas.Meu abraço boa semana.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo seu blog! Leitura indicada pelo amigo Wires. Esse poema ficou maravilhoso de tantas metáforas que nos instigam. Daria para fazer uma bela análise literária, mas a mais forte é a do ser que erra pelo mundo sem saber que caminho tomar porque ainda não olhou para dentro de si mesmo e buscar o divino. Adorei!
    Beijos mil!!!

    ResponderExcluir
  3. Olá estimado Geraldo,

    Não é assim tão fácil!
    Decidir é um verbo muito complicado.

    Abraços de luz.

    ResponderExcluir