6 de dez de 2010

O SONHADOR



Conversando com pessoas simples que nunca se filiaram, não são simpatizantes e nem mesmo participaram de qualquer manifestação partidária, constatei que elas não sabem o que dizer diante de tanta mala carregando propina, de diversos nomes e para diversos políticos.
Conversando com pessoas politizadas que assimilam bem o que é noticiado, mas que também não são adeptos de nenhum partido, percebi que estão perplexas com o volume de dinheiro que passa de mão em mão, de conta em conta, (ou seria de bolso em bolso), elas dizem que este é o “melhor” momento que o país está vivendo e que a atual conjuntura é a mais favorável para se passar uma borracha na corrupção e na vida dos corruptos.
Conversando com os filiados em partidos de todas as tendências, ninguém mais, salvo os perdidamente apaixonados, acreditam nestas instituições, porque está provado que em todos está a presença física ou a sombra da corrupção. 
Hoje o partido que se considerava o paladino da moralidade, que se dizia vacinado contra a corrupção, está sentindo nas entranhas que a dose foi mal administrada ou simplesmente houve erro na sua formulação. Querer fazer o povo acreditar que os mandantes não sabiam das falcatruas, é abusar da inteligência até daquele mais humilde que finge não entender. Ficar dando uma de falso moralismo, expulsando partidários que não concordavam com os desmandos, enquanto os conchavos e os roubos eram orquestrados entre quatro paredes é prova de nepotismo e na volta ao coronelismo.
O que me deixa feliz é ver, que foi preciso a esquerda chegar ao poder para que a corrupção pudesse ser colocada em discussão e ser apurada, se assim não fosse, nós pobres mortais, tomaríamos conhecimento de um ou outro assalto, pois isto só veio à tona porque a esquerda está no poder, coisa que muitos acreditavam ser impossível acontecer.
Aconteceu!
Agora é preciso apurar.
Antes não precisava, tinham certeza que o poder seria eterno.
Os partidos de direita, que em toda a nossa história, massacraram a classe pobre e operária deste país, que sempre viveram acobertados pela sombra negra da corrupção, querem agora vestirem-se de inocentes cordeiros, e abusar da tolerância de um povo que de uma maneira ou de outra, contribuiu e muito para se construir este cenário. 
Todos somos herdeiros da corrupção, e cabe a nós reinventarmos o antídoto contra esta praga, ou simplesmente voltarmos no tempo em que um fio do bigode ou da barba valia como garantia, tempo em que a palavra cumprida era a melhor educação e maior bem de uma família.
Somos todos herdeiros da corrupção, e cabe a cada um de nós impedir que a máxima “Um dia o homem vai ter vergonha de ser honesto”; hoje mais do que nunca transformada em verdade absoluta, seja a herança deixada para os nossos filhos. 
Que alguns políticos não têm nada a temer é mais do que certo e verdadeiro.
Que é preciso separar o joio do trigo ninguém discute.
O Brasil está sendo passado a limpo, então é preciso que os que nada temem percam o medo, e não se sintam envergonhados de apontar os corruptos, que não sejam coniventes com as falcatruas, porque dizer que não sabem, também é abusar da nossa santa paciência. Não serão chamados de Joaquins Silverios (este um traidor), por denunciar os ladrões do dinheiro que poderia estar salvando vida nos hospitais, tirando da rua os filhos dos pobres porque as escolas estão sucateadas, ou matando de fome os pobres, assalariados ou não, que são massacrados por impostos abusivos, votados por estes mesmos assaltantes da era moderna, entregar estes “colegas” será colaborar com a faxina de dentro para fora.
O Brasil está sendo passado a limpo e cabe a todos os formadores de opinião, professor, catequistas, clérigos, pastores, dirigentes de entidades diversas e tantas outras, não se deixarem anestesiar pelo poder e não se venderem como prostitutos e prostitutas, a troco de um cargo, principalmente aqueles em que o maior trabalho é conferir se o pagamento está na conta.
A faxina está começando pelo telhado, é preciso que ela atinja todos os cômodos da casa, executivo, judiciário, governo estadual e municipal, que não fique nenhuma salinha, nenhum computador, nenhuma gaveta sem ser vasculhada, é mais do que urgente tirar do ar o cheiro de corrupção, em qualquer lugar onde o destino e a vida de pessoas estejam sendo julgadas.
Mais o que nunca é preciso responder esta pergunta: Qual o mais corrupto, quem compra ou quem vende voto?
Porque é no voto que está o cerne da corrupção, a maioria dos envolvidos foi eleita pelo voto popular e os outros foram nomeados por eles.
Depois de passar esta nuvem negra o país estará preparado para responder. 
Vamos precisar colocar em prática a vacina contra a corrupção principalmente na hora de eleger deputados estaduais e vereadores, porque são em maior número e mais próximos do eleitor. Vai ser uma dose difícil de engolir, ter forças para dizer não à distribuição de cestas básicas, padrões de luz, telhas de amianto, compra de gás, pagamentos de contas, etc. 
Vai ser preciso ter coragem para fechar as portas ao falso amante da pobreza, que de quatro em quatro anos, aparece para pegar no colo e limpar o narizinho dos filhos dos pobres.
Se não der para tomar todo o remédio, que seja feito um paliativo, receber tudo que o sacana oferecer e se não tiver outra opção, anular o voto 
Então, que venham novas eleições.
E que a partir da próxima, a compra e venda de voto terá que fazer parte do passado.
Em todas as cidades deste país existe pelo menos um político que honra os votos que recebeu, cabe a cada eleitor fazer o papel de Faxineiro e varrer da vida pública os aproveitadores que acham que pobre só serve para votar.
Isto é um sonho?

Sou um sonhador...

Nenhum comentário:

Postar um comentário