10 de dez de 2010

MENSAGEM DO FILHO AUSENTE,





















Mãe,
Obrigado por ter se entregado a alguém que tanto amava,
Ou alguém por quem sentia apenas tesão
Ou nenhum dos dois,
E eu nasci.
Mãe.
Obrigado por me carregar no ventre,
Depois no colo,
Me entregado seus seios
Para que meu primeiro alimento
Também viesse de dentro de você.
Mãe
Obrigado por acompanhar meu crescimento,
Chorar quando adoeci,
Sorrir quando eu brincava,
Se emocionar quando eu brilhava
E se entristecer quando eu fracassava.
Mãe
Desculpe-me por ter crescido
E esquecido tudo tão depressa.
Perdoe, 
as vezes que não chorei quando ficastes doente,
Não ter ficado contente na sua alegria,
E não ter me emocionado quando bravamente lutava para viver,
Não ter me entristecido quando a perdi
Pelo esquecimento
E depois pela morte
Mãe, eu ainda sou seu filho
E hoje, lamento estar lembrando apenas, porque vi e ouvi os anúncios de presentes, 
Como pensar em presente, se sempre estive ausente?
Eu não soube ser filho.
Mas você, querendo ou não, teve que ser mãe.


3 comentários:

  1. Poeta
    Emocionante sua crônica...
    Fica difícil de escrever alguma depois de te-la lido....
    Linda e triste
    Beijos doces no coração
    Teka Nascimento

    ResponderExcluir
  2. Geraldo, como lhe falei, tenho dificuldade de abordar e escrever esse tema porque tive duas mães, a biológica e a que me adotou como filho. Como ambas ainda estão vivos e ambas amo com a mesma intensidade, evito escrever ou comentar esse assunto. Desculpe-me. Mas gostei muito.

    ResponderExcluir
  3. Ele sabia, sabia...
    Bastou ser Filho!

    ResponderExcluir