18 de set de 2010

COLESTEROL DA NATUREZA

O firmamento cheio de nuvens carregadas,
parece o semblante de alguém que está com raiva
Chuva caindo forte e com força
parece o choro copioso
de quem está sofrendo
uma grande agressão
Águas invadindo barracos
parecendo um ladrão querendo levar tudo
de alguém que nada tem
e que não aprendeu nem a cuidar do lixo
Córregos transbordando e ficando forte
ao incorporar no seu leito
a ignorância de quem joga o lixo
e a indiferença de quem deveria ter evitado seu acúmulo
Chuvas torrenciais sem ter terra para penetrar
são lágrimas da natureza
córrego que invade e mata
é a veia carregando o colesterol ruim da natureza
alimentado pelo homem
E o coração de Deus fica ferido
e o coração do homem continua insensível
ao clamor da mãe terra
e ao choro da irmã água
que devolvem com força
toda a agressão sofrida
nas entranhas da essência da vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário