21 de set de 2010

COISA DO DESTINO

Será que Deus criou alguém para ser pobre?
Assassino?
Ladrão?
Aleijado?
Traficante?
Ele seria louco!
Portanto não existe coisa do destino.
Tudo que acontece no contexto da vida tem uma explicação lógica e nada pode ser classificado como inexplicável.
Todos sabem que muitas doenças e defeitos que nascem com a pessoa são frutos de heranças deixadas pelos antepassados.
Em gestações mal sucedidas por causa da violência e de tantas drogas, matando a vida antes de nascer.
Milhares de mutilações físicas e mentais são frutos da estupidez do ser que se diz humano e é o responsável por todas as tragédias que acontecem no mundo.
E muitos dizem que são coisas do destino.
Pura bobagem!
Coisas da vida, fruto da ignorância!
Que poderiam ser modificadas se vividas de maneira diferente.
Assim como a beleza está nos olhos de quem vê, o futuro de uma pessoa está na maneira que escolhe para viver ou que a deixam escolher.
Milhares de pessoas são impedidas de viver, pela maldade de outras que se acham no direito de interferir na vida e traçar caminhos tortuosos para os outros.
Isto está estampado em todos os noticiários de todos os dias e os protagonistas destes atos de insanidade, na sua grande maioria, são os políticos, religiosos, em fim, os poderosos donos do país.
Uma elite que detém a maior fatia da riqueza, deixando a grande multidão esmolar um pouco de dignidade e jogar a culpa do fracasso no destino.
Quando a natureza se rebela contra a agressão sofrida há milhares de anos e resolve dar o troco em forma de chuvas torrenciais, nevasca, secas, vulcões e tsunamis vêm um “religioso” dizer que Deus está para voltar e convence os incautos dobrarem o dizimo para garantir um lugar no céu.
Quando uma nação pobre resolve dizer não e dar um basta na interferência dos “donos do mundo”, seu povo é destruído e milhares de inocentes mortos como cachorros sarnentos.
Se morrer antes da hora é coisa do destino, então o grande responsável por todos os assassinatos só tem um nome: Deus.
Precisamos prendê-Lo.
Afinal foi ele quem criou os Faraós, Césares, Pilatos, Hitler, Mussolini, Busch e tantos outros monstros.
Será que o Todo Onipotente realmente teria coragem de criar todas estas aberrações para destruir tantos inocentes?
Então o Todo Poderoso criou esta corja de políticos, ladrões que infestam os gabinetes do poder para massacrar um povo humilde que se contenta com pão e circo?
Então o Todo Poderoso criou uma casta de ricos que compram pessoas para semear a tristeza e o abandono no meio dos pobres.
Claro que não!
Se morrer antes dos setenta anos de um câncer de próstata ou de mama que não foi retirado porque a ignorância e falta de Deus não deixou um fio cirúrgico de R$ 30,00 ser comprado, como eu presenciei várias vezes, for coisa do destino, a morte natural não existe.
Se morrer queimado em um ponto de ônibus, como o índio, for coisa do destino então os assassinos eram os donos da sua vida.
Se morrer em um acidente causado por um bêbado ou drogado ao volante ou por uma falta de manutenção em um avião ou em uma pista de pouso, for coisa do destino, a vida das pessoas valem muito pouco.
Então o que é o destino?
Apenas um ponto de chegada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário