11 de set de 2010

AINDA DÁ TEMPO

ESTA É A IMAGEM DE TODOS OS RIOS DO PAÍS.






                                            

Chuva fina fazendo goteiras cantar lá fora, melodia de água caindo, que acalma e revigora.
É a natureza querendo mostrar ao homem que ainda é possível salvar o planeta.
Basta querer.
Enquanto a chuva ainda é de água limpa e abençoada.
Quando a terra agredida não tiver mais por onde transpirar, e no seu seio não mais correr o líquido da vida, e ela não conseguir mais evaporar e subir ao céu, e se transformar novamente em água, e voltar purificada, ainda haverá chuva?
Este leva e traz esperança, deixará de existir, e o ser humano feito de pura água, vai ter que se digladiar por um copo do precioso líquido.
Todos os dias, e de todos os cantos do planeta vem um alerta: Se não pararmos de agredir a natureza, a água potável está com seus dias contados
Madrugada chuvosa, depois de um temporal, pela manhã vi o rio da minha infância transbordando quase atingindo a ponte.
Velhos tempos!
Há quarenta anos atrás não era necessário um temporal, para se olhar e deliciar-se com o leito de um rio caudaloso, e daqui a quarenta anos, o que os nossos filhos e netos vão poder escrever?
Naquele tempo o rio tinha vida, e com qualquer chuva mais grossa se transbordava e jogava água para fora.
Onde foi parar a água?
Onde foi parar o rio?
A água que corria límpida e transparente, certamente está fazendo falta em algum lugar.
A minha geração não vai estar presente, para ver tudo ser reconstruído, e voltar a ser um paraíso se a ganância por dinheiro e poder, não derem lugar a medidas de salvação do meio ambiente degradado.
A minha geração não vai estar presente, para sofrer as agruras do inferno que infelizmente, com o andar a carruagem, será o destino do planeta.
Mas...
Ainda dá tempo

2 comentários:

  1. Mesmo quando você faz um protesto, consegue ser crítico também, cumprindo seu papel social nesse mundo! Um abraço,

    ResponderExcluir

Aqui você é muito bem vindo. Seu comentário ajuda na construção desse espaço de liberdade