25 de ago de 2010

A TERNURA DO AMOR

QUERO ME ENTREGAR POR INTEIRO A VOCÊ.



Deixa-me olhar dentro dos seus olhos
Quero desvendar seus segredos
Entregando-me por inteiro à sua paixão.
Deixa-me tocar seu corpo para despertar seu desejo

Quando eu deixar de te olhar
Vou esquecer seus segredos
Se não puder mais te tocar
Vou acordar sem desejos

Quando deixar de te amar
Mesmo sofrendo, vou esquecer sua existência
Vou perder a magia da cumplicidade no prazer
Como um ser errante, reaprenderei a viver

Para despertar novamente
A magia do segredo de conquistar outro amor
Sentir o tremor que une dois corpos na loucura do desejo
Na sensação da entrega, sem limites e sem pudor

Simplesmente porque...
Não quero deixar morrer a ternura do amor









Um comentário:

  1. Amigo Geraldo, não gosto muito da mistura dos pronomes de "tu" e "você" em um mesmo texto, mas a criatividade permite isso e a liberdade literária nos permite à liberdade dessa mistura; mas não gosto! Desculpe-me.
    Super interessante sua forma de escrever poesia, com sua terminação: "o segredo do olhar/o tremor do desejo?a sensação do tesão/a ternura do amor". Amei! Parabéns!

    ResponderExcluir