19 de ago de 2010

DO OUTRO LADO DO ESPELHO




DO OUTRO LADO DO ESPELHO



Espelho, espelho meu, há no mundo alguém mais idiota do que eu?
Não quero nem ouvir a resposta!
Poucos homens olham-se no espelho.
Acho que as mulheres são mais resolvidas, adoram passar horas em frente ao espelho, e certamente fazendo as mesmas perguntas:
Esta roupa caiu bem?
E este colar?
Parece que muitas vezes a resposta não é satisfatória, é um tal de trocar de roupa e de sapatos que é uma eternidade.
Há muito tempo não me olhava no espelho, de repente me vi cara a cara comigo mesmo, confesso que fiquei assustado. Lá estava sem máscara e sem nenhuma maquiagem para esconder o que realmente sou. 
E comecei a ser questionado.
O outro lado cobrava de mim, atitudes erradas que estou tomando ao tocar minha vida.
Estou literalmente frente a frente comigo mesmo. E o danado do outro lado começou a mostrar-me imagens já esquecidas, que até hoje me assustam. Passaram na minha frente atos, palavras e atitudes que fui protagonista ao longo dos anos vividos, que certamente hoje eu não deixaria acontecer ou não viveria novamente.
E das quais me arrependo.
O legal de estar cara a cara comigo mesmo foi ouvir que está passando da hora de perdoar-me pelos erros do passado e trabalhar para reconstruir um mundo de paz, fraternidade e caridade.
Todos precisam olhar-se no espelho.
Não é como se ver em uma foto, tirada nestas geringonças de última geração, que melhoram a imagem.
O reflexo é real.
Se do lado de cá estiver uma pessoa toda artificial, o reflexo do espelho nada vai modificar.
O problema é que ao conversar com a imagem do espelho, ela nos mostra a superficialidade da alma.
Isto incomoda.
Fixar o olhar no seu próprio olhar, conversar com você mesmo, contar segredos para a sua imagem pode parecer bobagem, mas é algo inexplicável e muita coisa sem nexo passa a ter sentido.
Somos chamados a ser mais tolerantes com a nós mesmos, com os que estão ao nosso redor, sermos mais caridosos com os que nos procuram.
Então, olhar para o espelho é melhor que participar de grupos de autoajuda, ou mesmo gastar dinheiro visitando psicólogos, psiquiatras e terapeutas
A terapia de ouvir de você mesmo que a vida precisa ganhar novo contorno, é algo que estimula.
Nenhuma grande decisão deveria ser tomada sem que a pessoa ouvisse dela mesma, se tal atitude está certa ou errada.
Nenhuma entrega ou separação de algo, e principalmente de alguém, deveria ser tomada sem antes olhar-se no espelho.

Eu particularmente descobri que preciso olhar muito para os espelhos.

4 comentários:

  1. Geraldo,
    Neste texto vc se superou....

    Muito bom..

    A.Paula

    ResponderExcluir
  2. Espelho, espelho meu...
    Uma reflexão através do espelho.Bom texto, bom conselho!Parabéns!
    Alexandra.

    ResponderExcluir
  3. A vida deve ser uma constante olhadela no espelho,inclusive o retrovisor amigo.Bela inspiração.Boa reflexao.Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Olá Geraldo, gostamos tanto do seu texto hoje lá no ECC no Inconfidentes que vamos levá-lo na segunda no encontro. Muito válido todas as reflexões. Elaine e Marco Aurélio

    ResponderExcluir